Banco Central inicia migração de serviços para VoIP


O Banco Central do Brasil (Bacen) está modernizando sua rede, adotando a tecnologia de MPLS (Multiprotocol Label Switching) e caminhando para implementar VoIP (voz sobre o protocolo de internet) na sede, em Brasília, e nas nove regionais espalhadas pelo país. “Estamos na fase de adquirir o know how da tecnologia e estudando a migração dos …

O Banco Central do Brasil (Bacen) está modernizando sua rede, adotando a tecnologia de MPLS (Multiprotocol Label Switching) e caminhando para implementar VoIP (voz sobre o protocolo de internet) na sede, em Brasília, e nas nove regionais espalhadas pelo país. “Estamos na fase de adquirir o know how da tecnologia e estudando a migração dos serviços em todos os PABX, tanto analógicos quanto digitais”, disse hoje José Antônio Eirado Neto, chefe do Departamento de Tecnologia da Informação do Banco Central. Segundo ele, o objetivo da instituição, além de redução de custos, é modernizar a infraestrutura de TI e telecom para a adoção de serviços convergentes. “Já unificamos os grupos de telefonia e rede, e estamos trabalhando para uma rede integrada, convergente”, destacou.

Os 20 profissionais do grupo – engenheiros de telecomunicações e de software – estudam também os serviços que poderão ser colocados na rede convergente, no médio prazo. De acordo com Eirado, é intenção do Bacen promover serviços como de educação financeira à distância para atender comunidades distantes.

Ciab e mobilidade

Eirado participou hoje em São Paulo da abertura da edição 2010 do Congresso e Exposição de TI das Instituições Financeiras (Ciab), organizado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). O evento tem como tema central este ano a chamada Geração Y. A preocupação do setor é como transformar a oferta bancária, seja na área de mobilidade ou de multimídia, para atender a essa nova geração, usuária massiva de dispositivos tecnológicos.

O setor em números

Grande consumidor de TI e telecom, o setor financeiro gastou, em 2009, cerca de R$ 19 bilhões com serviços de TI. Junto com os investimentos, cresceram também os usuários dos serviços bancários: o número de clientes do internet banking chegou a 35 milhões de usuários ao final de 2009, um crescimento de 9% sobre 2008. Os clientes de mobile banking já são 1,3 milhão, constituídos em sua quase totalidade por pessoas físicas.

Segundo Eirado, o Bacen tem acompanhado as discussões na Febraban sobre a mobilidade, com o uso de celulares como meio de transações bancárias. No Banco Central, o assunto está em estudo. “Se for necessário regulamentar a mobilidade, o BC o fará”, afirmou. Ele acredita, no entanto, que a mobilidade será apenas mais um canal de negócios do setor bancário, assim como podem ser as redes sociais.

Anterior Justiça não isenta operadora móvel de recolher ICMS em caso de inadimplência
Próximos Check Point adquire empresa de segurança de dados