Banco do Brasil registra 1 bilhão de transações por mobile banking em dezembro


Em dezembro, o Banco do Brasil atingiu um bilhão de transações realizadas através de mobile banking. Segundo a companhia, este volume de operações móveis em um único é uma marca inédita no país. No ano, houve crescimento de 50% da base de usuários do aplicativo BB, que passou a ter seis milhões usuários. A cada dia, 7,5 mil novos clientes passam a usar o app, que apresenta média de 80 mil conexões simultâneas.

O aplicativo do Banco do Brasil está entre os oito mais usados pelos brasileiros e possui a melhor avaliação entre as instituições financeiras do país, na opinião dos usuários da loja Google Play.

No último dia 15, o Banco divulgou que, desde setembro, já foram contratados mais de R$ 13 milhões em financiamento de veículos pelo celular. “Os números crescentes mostram que as pessoas, cada vez mais, buscam facilidade e comodidade para o seu dia a dia e esse é o ponto de partida para a estratégia do Banco do Brasil de perseguir a melhoria contínua da experiência do cliente”, ressalta Marco Mastroeni, diretor de negócios digitais do BB.

No terceiro trimestre de 2015, os canais digitais de autoatendimento já respondiam por mais de 80% do total de transações realizadas no Banco do Brasil. No concorrente Itaú, no mesmo período, 67% das transações eram feitas por meio digital. Neste ano, o BB iniciou uma nova estratégia digital. O atendimento passou a ser em horário ampliado, das 8h às 22h, por ferramentas como telefone, e-mail, videochamada e mensagens instantâneas, similar ao WhatsApp.

Também em 2015, o Banco do Brasil foi o primeiro banco a oferecer atendimento em tempo real para as pessoas que navegam pelo portal BB na internet e no internet banking, via chat. Essa ferramenta agiliza a comunicação sobre os produtos e serviços e, sobretudo, garante a satisfação do cliente no atendimento de suas demandas. O atendimento online possui especialistas nas áreas de empréstimo pessoal, crédito veículo, cartão, investimento e solução de dívidas. (Com assessoria de imprensa)

 

Anterior FGV: tarifas de telecom sobem pouco para as famílias de baixa renda
Próximos Anatel define projetos estratégicos para o TAC