Azevedo, da Oi, confirma saída do conselho da PT por discordar da operação RioForte.


Azevedo afirmou que se sentiu desconfortável com o investimento de 900 milhões de euros em que a PT realizou em papel comercial da Rioforte, a ‘holding’ que reúne as áreas financeira e não financeira do Grupo Espírito Santo.

O presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Azevedo, e um dos controladores da Oi, confirmou hoje ao Valor Econômico, que decidiu deixar o conselho de administração da Portugal Telecom porque não foi consultado sobre o investimento de 900 milhões de euros que a operadora portuguesa fez na RioForte, holding do banco Espírito Santo, o principal controlador da própria PT e da Oi.

“Comuniquei a minha decisão ao Portella e também ele decidiu sair”, disse o executivo, referindo-se a Fernando Portella, que também renunciou ontem ao cargo. Azevedo afirmou que se sentiu desconfortável com o investimento de 900 milhões de euros em que a PT realizou em papel comercial da Rioforte, a ‘holding’ que reúne as áreas financeira e não financeira do Grupo Espírito Santo.

Na nota à Comissão de Valores Mobiliários de Portugal, a Portugal Telecom afirmou que esta operação foi simplesmente de tesouraria e teve o conhecimento da comissão executiva do Conselho de Administração. O problema é que Azevedo e Portella, embora do conselho, não são administradores executivos, e por isto, não tinham assento nesta reunião.

 A crise do Banco Espírito Santo

O Banco Espírito Santo, principal acionista da Portugal Telecom e grande acionista também da Oi, está com grave crise de credibilidade e, desde 17 de junho, teve suas ações desvalorizadas em mais de dois milhões e euros. Tudo porque há um grande endividamento do Grupo Espírito Santo (GES), onde fica grande parte da família. A dívida da família é de mais de 980 milhões de euros.

O banco está em fase de sucessão de seu principal executivo, mas o nome indicado pela família ainda encontra resistências por parte de um dos acionistas, o Banco de Portugal. A imprensa portuguesa divulga hoje que a família resolveu preservar o banco desvinculando-o da crise do grupo GES.

 

Anterior SAS começa a oferecer visual analytics em big data da Amazon no Brasil
Próximos Ações das teles continuam em queda em Portugal e na França