Avanço da concorrência preocupa Vivo, admite Roberto Lima.


A diferença entre a Vivo, que mantém a liderança em participação e mercado, e a Claro, segunda colocada, que tem aumentado sua base de clientes no pós-pago em percentuais mais elevados (no último ano a diferença entre Vivo e Claro caiu de 3.8 pontos percentuais para 2.3 pontos percentuais no market share de pós-pago) preocupa …

A diferença entre a Vivo, que mantém a liderança em participação e mercado, e a Claro, segunda colocada, que tem aumentado sua base de clientes no pós-pago em percentuais mais elevados (no último ano a diferença entre Vivo e Claro caiu de 3.8 pontos percentuais para 2.3 pontos percentuais no market share de pós-pago) preocupa a Vivo, que está adotando estratégias para defender-se nesse mercado. "Market share é, sim, uma preocupação, embora não a única", afirmou Roberto Lima, presidente da Vivo, em teleconferência realizada hoje para comentar os resultados da operadora. "Nós sabemos que ter a maior base é sempre importante para gerar tráfego futuro e manter a a fidelização, com custos menores de ativação de clientes", explicou, acrescentando que em relação ao avanço da concorrente no pós-pago, uma das estratégias já adotadas pela Vivo é a oferta de serviços 3G e ações para fidelizar o cliente de sua base.

"Temos que entender que temos competidores fortes, que também têm suas estratégias. A nossa tem  sido dar prioridade à venda de novos produtos com acesso a 3G na nossa base, o que aumenta o número de acessos e impacta fortemente a receita, além de fidelizar o cliente", disse Lima. O executivo enfatizou que as últimas ações comerciais da Vivo tem buscado fazer um "up grade" dos clientes, incentivando-os a trocar aparelhos celulares mais simples por smartphones, o que aumenta a receita média por usuário (Arpu).

O Arpu da Vivo no terceiro trimestre ficou em R$ 26,4, redução de 10,2% em relação ao 3T08. Quando comparado com o 2T09, o Arpu apresenta crescimento de 0,4%, mesmo considerando o crescimento do número de acessos. A justificativa é que a Vivo desenvolve ações para estimular a comunicação de seus clientes com ofertas de serviços com valor agregado e, assim, neutralizar os efeitos das ações da concorrência e da multiplicidade de SIM Cards, que diluem os gastos dos usuários.

O Arpu sainte no 3T09 teve queda de 6,1% em relação ao 3T08, enquanto a receita média por cliente entrante decresceu 15,4% na comparação com o mesmo período do ano anterior, principalmente em função da migração de tráfego fixo-móvel para móvel-móvel e do incremento da penetração do serviço de telefonia móvel no Brasil. A operadora destaca que o Arpu sainte é maior que o entrante, diminuindo constantemente a dependência da receita oriunda do tráfego de interconexão.

Anterior Lucro da Vivo aumenta 153% e totaliza R$ 340 milhões no trimestre
Próximos Vivo aumenta tráfego por cliente