Compra da GVT pela Telefônica mostra empenho das empresas em aumentar investimentos na banda larga, diz.

Segundo o ministro, que nega conhecer negociações por consolidação, caixa dá margem para concessionária “ter uma estratégia de ajustamento”.

Segundo o ministro, o formato de convenções internacionais pode destinar cada tema vinculado à internet ao foro adequado e democratizar a governança da rede. “Questões de internet e trabalho vão para a OIT, internet e comércio, vão para a OMC. Internet e segurança, iriam para o Conselho de Segurança da ONU”, exemplificou. Ele lembrou que as operadoras estão sujeitas a regulação e que suas decisões afetam diretamente a balança comercial de onde atuam. O que demanda que o debate sobre a regulação da internet chegue também à OMC.

Participação de mercado dos smartphones no Brasil passara dos 38% atuais para 72% em 2020. A entidade prevê uma implementação mais acelerada do que o esperado na região. No ano passado, projetava-se que a 4G não ultrapassaria 35% do mercado latino em cinco anos.

Qualcomm e Huawei cobram acesso amplo ao espectro para viabilizar a próxima geração de redes sem fio.

CEO do Facebook nega ser uma telco e ressalta que 90% da população mundial já vive ao alcance de uma rede móvel.

Companhia diz que projeto de operadora móvel virtual deve sair do papel nos próximos meses.

Segundo Michel Combes, gerenciamento de rede é essencial e ideia das vias rápidas ajudaria empresas a diferenciar oferta de serviços.

Telefónica, Vodafone e Deutsche Telekom reclamam de condições desiguais de competição, classificam Facebook como empresa de telecomunicações, e dizem que diferenças legais afetam investimento futuro em infraestrutura.

Segundo Enrique Blanco, CTO global do grupo espanhol, Vivo possui espectro e infraestrutura para entregar banda larga móvel de 225 Mbps.