BNDES anuncia duas linhas de financiamento sob medida para ISPs

Leia Mais

Segundo o secretário do Ministério da Economia, Caio Megale, a distância entre a produtividade das PMEs no Brasil e das grandes empresas é muito maior do que em qualquer outro país.

A Anatel autorizou as empresas cumprirem metas do edital de 4G com a tecnologia de satélite, mas aumentou em pelo menos três vezes a velocidade e a franquia com que irão atender as escolas rurais. E concedeu 10 dias para que as operadoras demonstrem que usaram a faixa de 450 MHz dentro do prazo do edital, para em seguida dar início ao processo de retomada do espectro.

O presidente da TIM Brasil, Pietro Labriola, afirmou que a operadora quer ser a líder da 5G no país.Com essa iniciativa, pretende ver até que ponto a 5G pode substituir a fibra óptica fixa. Vai testar também carros autônomos.

Para Christian Gebara, o Brasil tem um gap digital que precisa ser suplantado e, para isso, amarras que desestimulam os investimentos privados devem ser removidas.

A intenção da Anatel é tornar as regras mais flexíveis para as operadoras poderem instalar esses equipamentos também nas residências dos usuários e irradiar livremente para a rede de celular.

Segundo o CEO Global, Cristiano Amon, o corte de fornecimento de chips se deu apenas com a fabricante Huawei. As demais fabricantes, como Xaomi, ZTE ou Vivo continuam a receber os seus produtos.

Os presidentes da Claro Brasil, José Felix, e da Oi, Eurico Teles, defendem que o Brasil mantenha-se neutro frente a atual guerra tecnológica entre Estados Unidos e China, que afeta diretamente a fabricante Huawei, que tem muita presença no mercado brasileiro.

Segundo Artur Coimbra, a intenção é simplificar a taxa do Fistel, de maneira a incidir sobre os serviços de telecomunicações e não mais sobre os terminais de acesso, sem que o governo perca arrecadação.

Foto: Projetado pelo Freepik

O acesso a internet é o principal desafio da agricultura de precisão, afirma Luis Claudio França, diretor do Departamento de Inovação do MA.

A Telefônica pede que a Anatel reconheça que a concessão de telefonia fixa está insustentável. Esse é o primeiro passo para uma possível devolução, antes do prazo, da concessão. Mas a empresa afirma que não quer entregar para a União a sua concessão, mas sim que a Anatel encontre alternativas para que o serviço deixe de dar prejuízo.