BNDES anuncia duas linhas de financiamento sob medida para ISPs

Leia Mais

A consultoria BCG, contratada pela Vivo para analisar o leilão, apontou ainda que, em outros países, o desligamento só começou com 95% da população atendida com a TV digital. No Brasil, ele vai começar com 65%.

“A Anatel precisa do cronograma para fechar o preço mínimo do edital”, afirmou Nilo Pasquali, gerente de regulação da agência durante audiência pública.

A operadora, controlada pela francesa Vivendi, e que não tem licença de celular, afirmou, durante a última audiência pública da Anatel, que este leilão “é a única oportunidade efetiva para a ampliação da banda larga”. O grupo pede tratamento diferenciado para as operadoras que não têm frequência, para as faixas abaixo de 1 GHz

O Ministério das Comunicações trabalha com três cenários para switch off da TV analógica: 1) Iniciar o cronograma de desligamento em 2015 pelos melhores mercados – as cidades mais populosas, como São Paulo e Rio de Janeiro por exemplo –; 2) Fazer um cronograma que mescle grandes mercados e cidades menos interessantes comercialmente (o filé e osso) ; 3) Iniciar o desligamento pelas cidades menores, onda não há problemas de migração dos canais.

A Oi terá que investir R$ 1,152 bilhão ( R$ 746,165 milhões na região da Telemar e R$ 406,242 milhões na região da Brasil Telecom); a Telefônica, R$ 186,873 milhões; a CTBC, R$ 21,850 milhões e a Sercomtel, R$ 2,187 milhões.

Empresa de VoIP já foi condenada nos EUA por prática de pirâmide financeira

Consulta pública lançada na semana passada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC – que faz mudanças no processo de fabricação dos aparelhos de celular no país conhecido com PPB (Processo Produtivo Básico)-  traz uma proposta que parece ferir de morte um dos pilares do padrão de TV digital nipo brasileiro – o …

Contestação da empresa diz respeito ao quarto lote da licitação, arrematado pela Eutelsat.

Operadora norte-americana que comprou a DirecTV já informou que pretende vender sua participação na América Móvil

A operadora norte-americana avisa que não abre mão do mercado latino, que tem poucas casas com TV paga. Ações da América Móvil caem hoje