Segundo o professor Luiz Fernando Soares, a convivência entre a programação ao vivo e on demand vai substituir a TV paga tradicional.

Segundo o CEO da operadora, serão investidos este ano R$ 4 bilhões – aumento de R$ 1 bi em relação aos números anunciados no início de 2014.

Para Rodrigo Abreu, a fusão com a concessionária brasileira pode ser analisada sob a ótica da oportunidade, e não sob a premissa da necessidade.

A venda da Portugal Telecom pela Oi é bom para a operadora brasileira, pois melhora as condições da empresa, a sua liquidez, e aumenta os investimentos no Brasil, afirmou hoje o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Mas ele voltou a se manifestar contrário à consolidação do mercado brasileiro.

O ministro entende que essa medida pode acelerar os investimentos na banda larga, mas ele ressalta que as metas estabelecidas pelo Programa Banda Larga para Todos, de levar a fibra ótica em 90% dos municípios e chegar com internet rápida em 45% das residências, podem ser atendidas independentemente deste debate. “O governo já falou que vai colocar dinheiro para bancar o plano de levar a banda larga para todos. Mas não pretendemos pagar a conta toda” afirmou ele.

Bernardo acha ainda que o critério para a indicação do ministro das Comunicações não deve ser o partidário.

Em um grande número de cidades, não é preciso fazer o desligamento dos canais de TV analógica, apenas o remanejamento dos radiodifusores que estão na faixa de 700 para frequências mais baixas, o que antecipa o ingresso da banda larga 4G nesses municípios. ”É do interesse de todos que esta antecipação possa acontecer, para liberar o espectro, para que esta infraestrutura possa ser instalada”, afirma Rodrigo Zerbone

Fontes de três operadoras de celular confirmaram hoje ao Tele.Síntese que vão procurar a justiça contra o valor maior que receberam da Anatel pelo que deveriam pagar pela faixa de 700 MHz, cuja assinatura do contrato foi marcada pela agência para o próximo dia 5 de dezembro. E, ao contrário do que informa hoje o jornal Folha de S. Paulo, o governo vai arrecadar este ano o principal de R$ 4,9 bilhões do leilão, porque as operadoras não têm a intenção de não pagar o que ofereceram na disputa, só questionam o valor a mais de R$ 186 milhões que a agência está cobrando.

Com esta assinatura, entra no caixa do governo cerca de R$ 4,9 bilhões das quatro empresas de celular – Algar Telecom, Claro, TIM e Vivo – que participaram do leilão promovido pela Anatel em setembro. Mas poderá ainda haver uma arrecadação extra se as empresas optarem por usar a faixa de 1,8 GHz. Esta opção deverá ser comunicada à Anatel até o dia 1º de dezembro, informou o superintendente de Regulação, Alexandre Bicalho.

Os orelhões brasileiros estão definhando. E a proposta da Anatel é diminuir o seu número – para transferir esses recursos para outras metas de universalização- na próxima revisão dos contratos de concessão, que se inicia em 2016. Em audiência pública realizada hoje, a redução da planta dos TUPs (Telefones de Uso Público) proposta pela Anatel foi um dos temas mais debatidos. Será feita uma redução de 60,4% da planta de orelhões brasileiros, com a redistribuição do aparelhos.