Não é pouca coisa. A Ciena cresceu, em receita, 70% no ano de 2013. Tal avanço, explica Fabio Medina, gerente geral e vice-presidente de vendas para CALA da companhia, se deve ao foco e especialização em uma área de atuação, que tem levado a companhia a registrar bons números. Para o futuro, a Ciena diz estar bem posicionada para a demanda das operadoras por redes escaláveis. O executivo afirma que ainda avalia as regras da Anatel de obrigatoriedade de uso de um percentual de tecnologia nacional em projetos desonerados e de nova geração.

Deputados usam a necessidade de votação do projeto para pressionar por liberação de emendas parlamentares

Abaixo assinado pede que o texto seja aprovado de forma integral, preservando os princípios fundamentais

Crescimento foi verificado em 2013, mas esforço das operadoras, renda maior e queda da VU-M devem apoiar o processo de migração da base brasileira

A TIM é a operadora brasileira que, no momento, mais veste a camisa das redes heterogêneas. Tanto é que o presidente, Rodrigo Abreu, reiteradamente vem discutindo a necessidade de regulamentação condizente com a potência para as várias camadas da infraestrutura móvel de telecomunicações. Com a expectativa de um grande processo de implementação a ser iniciado ainda no primeiro trimestre, o Tele.Síntese conversou com Marco Di Constanzo, diretor de infraestrutura de rede da TIM, para entender a visão da empresa para redes heterogêneas e para quais finalidades usará small cells.

Tele.Síntese Análise 401 Nas últimas semanas, surgiram mais sinais de que chegou a hora do quadruple play – pacote de serviços que inclui banda larga, TV, telefone fixo e móvel – no Brasil. A América Móvil lançou sua versão combinando os serviços da NET com os da Claro. A Telefônica/Vivo declarou, durante conferência com analistas …

On Telecomunicações

Empresa busca agora ampliar sua base de cobertura por meio da aquisição de frequências de MMDS. Objetivo central é faixa da Vivo em SP