Enquanto o processo de fusão com a Telefônica não é concluído, a operadora mantém seus planos de investimentos, com foco também em GPON e big data.

O presidente da Telefônica, Antonio Carlos Valente, disse hoje que um único player responde por 69% do mercado de banda larga fixa e que a fusão entre Telefônica e GVT trará mais equilíbrio a esse mercado.

O presidente da Telecom Italia, no entanto, reafirmou que o grupo está investindo, principalmente para ampliar a rede 3G, e defendeu que os investidores estrangeiros passem a “levar em conta a volatilidade” da economia, que é natural em qualquer país.

No início de 2015, a empresa inicia prova de conceito em uma operadora brasileira. A solução já foi testada pela Telefonica na Espanha e envolve parcerias com outras empresas.

O banco reforçou sua parceria com a Desenvolve SP, que irá operacionalizar a linha de crédito para empresas inovadoras com faturamento anual de até R$ 90 milhões. E não exige garantias.

A joint venture entre a ECT e o Poste Italiane depende da aprovação, pelos acionistas do grupo italiano, do acordo comercial e dos investimentos, o que deve acontecer em setembro.

A operadora lançou o serviço de gravador digital com diversas funcionalidades na ABTA, mas mantém a estratégia de crescer no serviço de TV paga com a tecnologia de satélite.

Operadora lança decodificador WiFi e aplicativo que permite acessar canais ao vivo por meio de qualquer device

O objetivo é identificar os gargalos encontrados pelos pequenos provedores na obtenção de recursos do BNDES via agentes financeiros

A fabricante chinesa, que responde por 70% da rede de acesso da TIM Fiber, vai trazer para o Brasil o desenvolvimento de algumas soluções de banda larga. A meta da TIM é aperfeiçoar o processo que combina a transmissão por uma rede de fibra, com o acesso a última milha em cobre, para ofertar banda larga na velocidade Gbps a preços de Mbps.