Aumentos de custos de rede diminuem lucros e margens da América Móvil no Brasil e na AL


 

A América Móvil, controladora no Brasil das empresas Claro, Embratel e NET, registrou uma queda de quase 10% em seu lucro no último trimestre do ano passado (para 16,3 bilhões de pesos mexicanos) em virtude de aumento das despesas de rede. No Brasil, houve também uma queda do EBITDA de 2,2% em relação ao último trimestre do ano passado, provocado, segundo a empresa, pelo aumento dos custos na aquisição de conteúdos para a TV paga, expansão da rede e abertura de 62 novos centros de atendimento aos clientes.

 

A Claro fechou o ano no Brasil com 60,4 milhões de clientes, 16,9% a mais do que em 2010. No último trimestre, apresentou adição líquida de 2,9 milhões de usuários e de 8,7 milhões em todo o ano de 2011, ou crescimento de 54,2%

 

O melhor desempenho foi o da Embratel e NET, nos segmentos de TV paga, que registrou crescimento de 41,6%, incorporando 846 mil novos clientes no trimestre, 2,9 milhões em todo o ano, chegando em dezembro com uma base de 10 milhões de clientes.

 

As receitas do segmento fixo (TV paga e banda larga fixa) subiram para R$ 5,9 bilhões, 6,3% mais altas do que o último trimestre de 2010. As receitas fixas já representam 52% do total das receitas do grupo no Brasil.

 

A comunicação de dados móveis cresceu 28,6% e a banda larga fixa, 15,6%. Apesar da queda do EBITDA no último trimestre ( de 2,2%, para R$ 1,3 bilhão), ao longo de 2011, apresentou crescimento de 6,9%, com R$ 22,8 bilhões.

 

Todo o grupo da América Latina fechou com 300 milhões de acessos na América Latina. No último trimestre, apresentou 182 bilhões de pesos mexicanos em receitas, mais 12,3% e os custos aumentaram de 321 bilhões para 207 bilhões de pesos mexicanos.

Anterior Nokia corta mais 4 mil postos de trabalho
Próximos Bechara e Zerbone vão compor o CGI.br