Aumento de impostos na Argentina inviabiliza exportação de celulares


Se confirmada, a decisão da Argentina de aumentar os impostos de importação de produtos eletroeletrônicos praticamente inviabilizará a exportação de aparelhos celulares, monitores de LCD, televisores e outros produtos do Brasil para aquele país, afirma o presidente da Abinee, Humberto Barbato.. Ontem, o Senado da Argentina aprovou projeto de lei (ainda terá que passar pela …

Se confirmada, a decisão da Argentina de aumentar os impostos de importação de produtos eletroeletrônicos praticamente inviabilizará a exportação de aparelhos celulares, monitores de LCD, televisores e outros produtos do Brasil para aquele país, afirma o presidente da Abinee, Humberto Barbato..

Ontem, o Senado da Argentina aprovou projeto de lei (ainda terá que passar pela Câmara) que aumenta de 10,5% para 21% o IVA. Além disso,  perderão isenção tributária estimada em 26% (benefícios serão mantidos apenas para produtos acabados na Terra do Fogo, uma espécie de zona franca). "Com essa posição a Argentina deveria rever sua posição, se quer continuar, ou não, no Mercosul", comentou Barbato. O produto mais afetado nas exportações do setor  será o celular.

No ano passado, a indústria de celulares exportou US$ 2,2 bilhões, sendo 40% (mais de US$ 800 milhões) para a Argentina. Com a retirada de benefícios, mais o aumento do IVA, a Abinee estima que os aparelhos celulares passariam a ser taxados em mais 34%, o que inviabilizaria a exportação desse dispositivo para o país vizinho. (Da redação)

Anterior Justiça do Ceará proíbe teles de repassar PIS/Cofins para consumidores
Próximos Mercado emergente concentrará os assinantes de TV paga