Aumenta confiança do consumidor em carros autônomos, diz Deloitte


A confiança dos consumidores na segurança dos veículos 100% autônomos cresceu significativamente no último ano. Segundo o estudo Global Automotive Center 2018, feito pela Deloitte em 17 países, 67% dos entrevistados disseram na edição anterior que não acreditavam que esses automóveis seriam seguros, um percentual que diminuiu para 41%. Também chama a atenção a disposição dos brasileiros de pagarem mais caro por esse tipo de carro, superando a média alcançada em outros mercados.

O estudo conclui que os consumidores têm uma visão mais clara da segurança dos veículos autônomos, embora ainda restem algumas preocupações. Assim, um percentual significativamente menor de pessoas consultadas pelo estudo de 2018 não considera que os carros autônomos não serão seguros, sendo que menos de metade (47%) dos consumidores dos EUA expressaram essa opinião. Esse resultado é 27 pontos percentuais abaixo dos 74% que se diziam céticos no levantamento de 2017, por exemplo.

A tendência é similar em todos os países que participaram do estudo: Coréia do Sul (com 54% este ano, contra 81% no ano passado), Alemanha (45%, ante 72%), França (37%, frente a 65%) e Brasil (25%, contra 54%). A mudança mais notável, no entanto, vem da China, onde o percentual de pessoas que consideram que os carros totalmente autônomos não serão seguros caiu de 62% em 2017 para 26% no estudo deste ano.

As grandes marcas fabricantes de veículos são apontadas como as mais confiáveis para garantir a segurança das tecnologias autônomas. Na média entre os 15 mercados que foram objeto da pesquisa, 45% dos participantes confiam mais nas montadoras tradicionais para que levem veículos autônomos seguros às ruas. Outros 30% apostam em novas companhias dedicadas ao desenvolvimento de veículos autônomos ou outras organizações dedicadas a essa tarefa. O menor grupo, formado por 25% dos entrevistados, tem confiança nas empresas de tecnologia existentes para realizar essa tarefa com sucesso.

“Mais da metade dos brasileiros (52%, acima da média global do estudo) tem mais confiança que as grandes e tradicionais montadoras liderem o desenvolvimento das tecnologias de mobilidade autônoma de maneira segura e confiável”, comentou  Carlos Ayub, sócio da Deloitte especializado na indústria automotiva.

 

Imagem ilustra sensores administrados pelo novo computador para carros da nVidia em ação (Imagem: Divulgação nVidia)

Anterior Caixa da Oi cresce em dezembro graças a operações financeiras
Próximos Operadoras começam a bloquear celulares piratas na próxima semana