Audiência na Câmara debaterá demissões da Oi após fusão com BrT


A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara realiza na quarta-feira (1º) audiência pública para discutir as demissões feitas pela empresa Oi, que comprou a Brasil Telecom em 2008. A audiência foi sugerida pelo deputado Luiz Carlos Busato (PTB-RS), que quer ouvir esclarecimentos sobre a situação dos funcionários da empresa. Segundo informações …

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara realiza na quarta-feira (1º) audiência pública para discutir as demissões feitas pela empresa Oi, que comprou a Brasil Telecom em 2008. A audiência foi sugerida pelo deputado Luiz Carlos Busato (PTB-RS), que quer ouvir esclarecimentos sobre a situação dos funcionários da empresa.

Segundo informações divulgadas pela imprensa, a Oi demitiu em abril cerca de 500 funcionários, principalmente das áreas de mercado e vendas, por motivo de reestruturação após a compra da Brasil Telecom. Em fevereiro, logo após a conclusão da compra, a empresa já teria eliminado cerca de 400 cargos de gerência.

Durante a negociação da fusão, em dezembro do ano passado, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), estabeleceu como uma das condições para aprovar a operação que a Oi mantivesse até abril de 2011 o mesmo número de postos de trabalho existentes em 1º de fevereiro de 2008 nas duas empresas.

As demissões teriam ocorrido principalmente em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Brasília. Estimativas de entidades sindicais apontam que o número de demissões na empresa poderá ser de 3 a 5 mil, de um total de 15 mil empregados. Segundo nota divulgada pela Oi, os demitidos terão o seguro de vida e o plano de saúde mantidos até o fim do ano. Também terão o apoio, por um ano, de consultoria para recolocação profissional.

Foram convidados para a audiência: o ministro do Trabalho, Carlos Lupi; o presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco Pires Correa; o presidente do Sindicato dos Telefônicos do Rio Grande do Sul (Sinttel/RS), Flávio Leonardo Silveira Rodrigues; o vice-presidente do Sinttel/RS, Gilnei Porto Azambuja; o presidente da Federação Interestadual dos Trabalhadores em Telecomunicações (Fittel), Brígido Ramos; o presidente da Anatel, Ronaldo Mota Sardenberg. (Da redação)

Anterior Indústria europeia se compromete a criar carregador universal
Próximos TV Câmara e TV Alesp assinam termo para usar multiprogramação