Audiência da TV paga cresce significativamente com pandemia, diz Ancine


Durante o isolamento social a audiência da TV paga aumentou até 22% em números absolutos e os canais de notícias foram os que tiveram maior aumento em relação à quantidade absoluta de telespectadores. É o que mostra estudo da Ancine, que consolidou números recolhidos pela Kantar Ibope Media.

Para essa análise, foram escolhidos como parâmetros, inicialmente, o consumo individual de TV dos indivíduos com acesso à TV paga no conjunto das 15 regiões metropolitanas medidas no horário entre 7 da manhã e meia-noite. Dentro desse recorte, já na primeira semana (entre 16 e 22 de março – considerando como semana o período de sábado a sexta) de medidas de isolamento e distanciamento social, a média semanal do total de telespectadores dos canais de TV paga aumentou 22 %, em números absolutos.

PUBLICIDADE

Esse aumento continuou na semana seguinte – que foi, até agora, a semana com maior média dos canais de TV paga em 2020, dentro dos parâmetros de observação escolhidos. Nessa semana, entre 23 e 29 de março, a média do total de telespectadores dos canais de TV paga correspondeu a 8,95 pontos de audiência.

Dado o início das ações de isolamento a partir de segunda quinzena de março, o aumento na busca por informações sobre a pandemia e o lançamento de um novo canal direcionado ao gênero fez com que a média do total de espectadores assistindo a canais de notícias na primeira quinzena de abril fosse 100% superior à média da primeira quinzena de março. Em relação ao mesmo período de 2019, a média da audiência total aumentou mais de 50%.

Outros segmentos de canais também apresentaram expansões na média da primeira quinzena de abril, quando comparada à média da primeira quinzena de março. O total de indivíduos assistindo canais de filmes e séries acompanhados pela Kantar Ibope Media apresentaram aumento de quase 40% em termos absolutos, enquanto os canais de variedades aumentaram 29,6% e os de documentários 25,3%. Os canais infantis tiveram um crescimento menor (9%).

A interrupção de eventos e competições esportivas no Brasil e no mundo fez com que o segmento de canais de esporte fosse o único que apresentasse redução na média do total de espectadores da primeira quinzena de abril em relação à primeira quinzena de março, com uma perda de mais de 60%.

Na primeira quinzena de maio, apenas os canais de notícias (11%), infantis (4,6%) e de variedade (3,4%) apresentaram algum aumento em relação à primeira quinzena de abril, mas todas as categorias, com exceção dos canais esportivos, obtiveram uma média no período superior ainda à primeira quinzena de março.

Segundo a Ancine, em abril, a média do total indivíduos assistindo a esses canais no horário nobre foi a maior do ano, aumentando 8% em relação a março. Comparando a média da primeira quinzena de abril com a de março, esse aumento é ainda mais significativo, de cerca de 32% de espectadores a mais. Por terem uma dinâmica de horário nobre diferente, canais infantis não foram contabilizados nessa observação.

Entre os canais de espaço qualificado, os chamados Canais Brasileiros de Espaço Qualificado acompanhados pelo Kantar Ibope Media (canais que são programados por programadora brasileira e veiculam majoritariamente, no horário nobre, conteúdos audiovisuais brasileiros que constituam espaço qualificado, sendo metade desses conteúdos produzida por produtora brasileira independente, entre outras características), tiveram um aumento de quase 55% na média do total de indivíduos assistindo sua programação no horário nobre na primeira quinzena de abril em relação à primeira quinzena de março, mantendo um patamar similar na primeira quinzena de maio. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Accedian fornece software de monitoramento de desempenho de redes para hospitais
Próximos Claro inaugura mais quatro usinas solares