Até 2018, mais de 50% dos usuários globais terão tablet ou smartphone


Nas economias emergentes, os usuários estão adotando smartphones como seus dispositivos móveis exclusivos, ao passo que, nas economias desenvolvidas, os equipamentos multidispositivos estão se tornando a regra, com os tablets crescendo a taxas mais rápidas do que qualquer outro equipamento de computação Dessa forma, o Gartner prevê que, até 2018, mais de 50% dos usuários partirão primeiramente para um tablet ou um smartphone para realizar todas as atividades on-line.

“O padrão que emergiu para quase todos os consumidores, com base na acessibilidade dos dispositivos, é utilizar primeiramente o smartphone como ferramenta em trânsito, seguido pelo uso do tablet nas sessões mais longas, e o PC cada vez mais reservado para tarefas mais complexas”, diz Van Baker, Vice-Presidente de pesquisas do Gartner. “Esse comportamento se adapta para acomodar itens vestíveis à medida que se tornam mais disponíveis para os usuários. Com o crescente uso da voz, dos gestos e outras modalidades junto aos consumidores, e à medida que as tarefas de consumo superam as tarefas de criação de conteúdo, os usuários se afastam ainda mais dos seus PCs”. (Assessoria de Imprensa)

Anterior Banda larga fixa conquista apenas 100 mil novos clientes em outubro
Próximos Oi assina contrato de venda da PT com Altice

1 Comment

  1. Vanessa Queiroz
    10 de dezembro de 2014

    Faz sentido, já que o celular e tablet permitem realizar tarefas mais simples em razão do tamanho de sua tela, como a troca de mensagens. Mas a edição de imagens utilizando programas avançados, por exemplo, é mais eficiente no computador. http://www.celularcorporativo.org