As ligações derrubadas pela TIM, em apuração pela Anatel, podem ter afetado 8 milhões de usuários


 

A Anatel divulgou hoje nota de esclarecimento em relação à matéria da Folha de S. Paulo, informando que abriu um Procedimento de Apuração de Descumprimento de Obrigações (Pado), para confirmar a denúncia de sua fiscalização, e que a empresa ainda deverá apresenta a sua defesa. Mas a agência divulgou também o processo de fiscalização, e os números são impressionantes. Entre eles, está expresso que a “derrubada” proposital  de ligações do Plano Infinity poderia ter afetado 8,17 milhões de usuários em todo o Brasil “por desligamento provocado pela rede da prestadora”. Isso resultou em mais de 16 milhões de ligações que caíram e gastos R$ 4,3 milhões pelos usuários em um único dia, diz o relatório.

 

Ainda conforme o processo, a fiscalização confirmou que a queda nas ligações do plano Infinity (o que permite o usuário falar por tempo indeterminado, obviamente, se não cair a ligação) no período investigado (de março a maio) foi de 35,23% para todo o Brasil e de 36,53% para todo o Nordeste, o que significa ser 17,6 vezes o máximo permitido pela Anatel no caso de todo o Brasil, e de 18,3 vez no caso do Nordeste.

 

Segundo a Anatel, os minutos de uso (MOU, na linguagem do setor) é 2,5 vezes superior ao MOU de outros planos (ou seja, 5 minutos de uso versus 2 minutos de uso em média dos outros planos). Para a agência, esta diferença não é significativa a ponto de caracterizar maior desligamento para o Plano Infinity em comparação com outros planos.

 

O relatório conclui que o desligamento do Plano Infinity é quatro vezes superior ao “Plano Não Infinity”. Ou, existe um acréscimo de 300% de quedas dessas chamadas em comparação às chamadas por minuto. “Tecnicamente e estatisticamente é impossível a discrepância, pois ambas foram separadas de um universo de ligações que operam sob a mesma rede”, afirma o documento.

Anterior DirectTV terceiriza gerenciamento de operações e faturamento com Amdocs
Próximos Anatel ameaça Nextel com suspensão de venda se não melhorar o SAC