Argentina deve anunciar ainda este ano o padrão nipo-brasileiro de TV digital


Um ano após a inauguração da TV digital no Brasil, o Grupo de Trabalho Conjunto Brasil-Japão volta a se reunir, em Brasília, para debater os avanços do padrão japonês no país, a avaliação da divulgação do sistema para outros países da América do Sul, a instalação de uma fábrica de semicondutores e a ampliação da …

Um ano após a inauguração da TV digital no Brasil, o Grupo de Trabalho Conjunto Brasil-Japão volta a se reunir, em Brasília, para debater os avanços do padrão japonês no país, a avaliação da divulgação do sistema para outros países da América do Sul, a instalação de uma fábrica de semicondutores e a ampliação da cooperação técnica para outras áreas. A expectativa do diretor do Departamento de Temas Científico e Tecnológico do Itamaraty, ministro Hadil da Rocha Vianna, é de que a Argentina, que está estudando o padrão japonês com inovações brasileiras para a TV digital, possa assinar o acordo de adoção ainda este ano. “A notícia que nós temos é que a presidente Cristina Kirchner está aguardando apenas o momento político interno oportuno para fazer o anúncio”, disse.

Vianna disse que a divulgação do padrão digital japonês na América do Sul ganhou força em razão das possibilidades introduzidas pelo middleware Ginga, desenvolvido no Brasil, e que potencializa as aplicações da interatividade na TV digital. Esse também é, na opinião do ministro, o diferencial que tornou a TV digital brasileira um verdadeiro sucesso no seu primeiro ano de implantação.

Em relação à instalação da fábrica japonesa de semicondutores no Brasil, o ministro disse que o interesse continua, já que foi a base do entendimento para o país adotar o padrão. Além disso, considera a sua implantação fundamental para o crescimento da indústria eletroeletrônica no país. De concreto, afirma que foi estabelecido um plano de ação para o avanço das tratativas. E o primeiro item desse plano é a capacitação de recursos humanos, que será incrementada no próximo ano, com a ajuda do Ceitec.

A ampliação da cooperação técnica entre Brasil e o Japão, por sua vez, será debatida em um encontro previsto para o primeiro semestre de 2009, em Tóquio. A expectativa é de que ações conjuntas possam ser concretizadas na área de inovação tecnológica voltada  para a saúde.

Os trabalhos do encontro do GTC Brasil´Japão seguem até amanhã e os debates estão distribuídos entre cinco grupos: padronização de normas e cooperação tecnológica, financiamento, propriedade intelectual, recursos humanos e semicondutores. Entre os participantes está o representante da Association of Radio Industries and Businesses of Japan (ARIB), Tadaaki Yokoo.

Anterior Anatel vai considerar aumento da largura de banda na 3,5 GHz
Próximos WiMAX em 2,5 GHz só será liberado depois da mudança na faixa