Apple vende mais smartphone que a Samsung no 4º tri


A divulgação dos resultados da Apple na noite de ontem, 1, consolidou uma estimativa dos analistas: a de que a fabricante retomaria o posto de principal vendedora de smartphones do planeta. Segundo dados da consultoria IDC, com base dos números divulgados pelas empresas, a maçã vendeu 77,3 milhões de unidades – contra 74,1 milhões da rival sul-coreana.

O terceiro lugar em vendas foi ocupado pela Huawei, com 41 milhões de celulares vendidos. O quarto, com Xiaomi, que vendeu 28,1 milhões, quase o mesmo que a chinesa OPPO (27,4 milhões).

Os números dizem respeito apenas ao quarto trimestre do ano. E embora mostrem mudança no ranking das maiores fabricantes, escondem outro fato: a retração global do mercado smartphones. As vendas totais, somando-se os números de todas as empresas, caíram 6,3%, para 403,5 milhões de unidades vendidas.

Segundo os analistas da IDC, as vendas caíram no período porque os novos celulares lançados não trouxeram inovações que justificasse o upgrade nos mercados maduros. “A quase ausência de bordas foi vista apenas como um luxo”, afirma Anthonu Scarsella, líder de pesquisa em telefonia móvel da IDC.

No ano

Analisando-se os 12 meses de 2017, a Samsung mantém o posto de maior fabricante, com folga. Vendeu quase 50% mais que a Apple e duas vezes mais que a terceira colocada, a Huawei. Somando-se todas as empresas, foram vendidos 1,47 bilhão de aparelhos no mundo, no ano passado. Confira os números anuais na tabela abaixo:

Ranking das 5 maiores vendedoras de smartphones no mundo (em milhões)
Fabricante Volume em 2017 Market Share em 2017 Volume em 2016 Market Share em 2016 Variação ano-a-ano
1. Samsung 317.3 21.6% 311.4 21.1% 1.9%
2. Apple 215.8 14.7% 215.4 14.6% 0.2%
3. Huawei 153.1 10.4% 139.3 9.5% 9.9%
4. OPPO 111.8 7.6% 99.8 6.8% 12.0%
5. Xiaomi 92.4 6.3% 53.0 3.6% 74.5%
Others 577.7 39.5% 654.5 44.4% -11.7%
Total 1472.4 100.0% 1473.4 100.0% -0.1%
Fonte: IDC Worldwide Quarterly Mobile Phone Tracker, 2017
Anterior Anatel arquiva medida cautelar contra Oi e Tanure
Próximos Fazenda fixa limite de importação incentivada de bens para pesquisa tecnológica