Apple fatura US$ 69 bilhões no trimestre


A Apple divulgou hoje, 1º, os resultados de seu quarto trimestre fiscal, encerrado em setembro. A fabricante do iPhone reportou receitas de US$ 62,9 bilhões – o que equivaleria a cerca de R$ 232 bilhões pelo câmbio atual no período. O montante é 20% maior que o registrado nos mesmos meses de 2017. O lucro líquido da companhia saltou 41%, para US$ 14,12 bilhões (mais de R$ 51 bilhões).

Os dados já contabilizam uma semana de vendas dos novos iPhone X. A companhia destaca, no entanto, a evolução da receita com serviços, que representaram faturamento de US$ 10 bilhões, alta de 27%. “Estamos felizes em reportar a maior receita e lucros da história da Apple”, comemorou Tim Cook, CEO da companhia. Ele destacou que, apenas no ano fiscal de 2018, a empresa vendeu 2 bilhões de iPhones em todo o mundo.

O iPhone segue como principal produto. Foi responsável por US$ 37 bilhões do faturamento total. O iPad vendeu o equivalente a US$ 4 bilhões. E o Mac, US$ 7,4 bilhões. Em unidades, foram 46,88 milhões de iPhones vendidos. O lançamento do iPhone X, mais caro, fez a receita com celulares crescer 29%, embora a quantidade de aparelhos vendidos tenha ficado estável em relação a um ano antes. O mercado de iPad, no entanto, segue em retração, com vendas menores em 6% e receitas menores em 15%. Já a venda de Mac caiu 2%, mas a receita aumentou 3%.

No ano fiscal de 2018, agora encerrado, a empresa teve lucro líquido de US$ 59,5 bilhões, 18,7% maior que em 2017. As receitas foram de US$ 265,6 bilhões, crescimento de 15,8%.

Para o primeiro trimestre do ano fiscal de 2019, que começou em outubro, a companhia projeta vendas entre US$ 89 bilhões e US$ 93 bilhões.

Conforme os executivos da companhia, durante a conferência de resultados, os países emergentes representaram um desafio. Em praticamente todos (Turquia, Rússia, Índia, Brasil) houve desvalorização cambial, que exigiu adequações. Na Índia, as vendas ficaram estagnadas. Enquanto no Brasil, houve queda nas receitas. E medidas foram, ou estão, sendo tomadas caso a caso.

Anterior Agência propõe mais banda por operadora na frequência de 3,5 GHz
Próximos Licença para posição orbital brasileira vai custar R$ 102 mil