Apple e Broadcom são condenadas a pagar US$ 1 bilhão por violarem patentes do WiFi


O CEO da Apple, TIM Cook, durante evento da companhia realizado no final de 2018

A Apple e a fabricante de chips Broadcom podem ter de pagar, juntas, US$ 1,1 bilhão ao Instituto de Technologia da Califórnia, instituição de ensino mais conhecida simplesmente por Caltech. A decisão se após um julgamento em tribunal com júri. Ficou decidido que a Apple terá de pagar US$ 270 milhões, enquanto a Broadcom, US$ 838 milhões. As empresas prometem recorrer, conforme a agência de notícias Reuters.

Ambas foram acusadas de violar patentes relacionadas à transmissão de dados por meio de WiFi desenvolvidas pela Caltech. A Broadcom se manifestou após o julgamento, afirmando que discorda do veredicto por enxergar no processo falhas legais e fatuais. A Apple não se manifestou. Nos autos, porém, reclamou de ser processada, uma vez que seria apenas uma cliente da Broadcom.

Curiosamente, na semana passada, Apple firmou um contrato de US$ 15 bilhões para a aquisição de chips da Broadcom para equipar seus futuros aparelhos. Cerca de 5% de todas as vendas da Broadcom foram destinadas à Apple no ano passado.

A Apple, por sua vez, divulgou nesta semana resultado financeiro recorde para o trimestre encerrado em dezembro, em que reportou receitas de US$ 91 bilhões (+8,9%), lucro líquido de US$ 22,2 bilhões (+11,5%) – e seus iPhones nunca venderam tanto, gerando receitas de US$ 55,9 bilhões.

Anterior Cresce receita da F5 Networks no primeiro trimestre fiscal
Próximos Câmara 4.0 da Saúde é lançada para integrar atendimento médico dos brasileiros