Apesar de melhora na confiança da indústria, Abinee vê incertezas


O índice de confiança do empresário industrial (ICEI) do setor eletroeletrônico subiu em junho, quebrando uma sequência de baixas desde fevereiro. A cifra marcou 54,2 pontos, permanecendo ainda na esfera positiva, e melhorando 0,8 p.p. em relação a maio.

Para a Abinee, associação que representa os interesses da indústria eletroeletrônica, a melhora da confiança não significa que o cenário de fato melhorou. Para o presidente executivo da entidade, Humberto Barbato, a “oscilação é reflexo de certa insegurança que vigora no cenário brasileiro, em função das reformas e de outras manifestações do governo, o que faz com que haja uma retração natural nos investimentos”.

Na opinião de Barbato, a abertura de mercado, e as discussões sobre as alterações na Lei de Informática geram um ambiente de incertezas que prejudica a tomada de decisões de investimento.

O ICEI da área elétrica foi o que mais subiu e contribuiu para a alta do índice geral do setor. A confiança do industrial elétrico passou de 50,1 para 54,4 pontos no mês. Em junho o presidente Jair Bolsonaro afirmou que estudava uma forma de revogar a exclusividade da tomada de três pinos no Brasil.

Já a confiança da área eletrônica caiu. Passou de 57 pontos em maio para 54 pontos em junho. No mês, também Bolsonaro afirmou que estuda baixar o imposto de importação de celulares e computadores, sob a alegação de que a medida aumentaria a competitividade da indústria brasileira. A reação dos fabricante locais, no entanto, foi negativa.

A Abinee, que representa tanto a área elétrica, quanto a eletrônica, manifestou-se contrária a ambas as propostas.

Anterior A massificação da 5G no país só começará em 2026
Próximos Mercado de computadores tem retração de 5% no 1º tri