Apenas 44% dos serviços mais procurados no governo federal estão na internet


shutterstock_Ase_internet_globalizacao

A pesquisa TIC Governo Eletrônico 2017 divulgada hoje, 2, pelo NIC.br, confirma que ainda há muito a ser feito para que o brasileiro possa ter acesso a um serviço de governo eletrônico que mereça. Conforme os resultados apresentados, apenas 44% dos serviços mais procurados pelo cidadão em alguma repartição pública do governo federal e 25% nos governos estaduais podem ser totalmente resolvidos na internet.

Entre os argumentos mais usados pelos gestores públicos para justificar essa baixa disponibilidade de serviços de governo pela internet estão restrições legais (39%) e impossibilidade de o próprio serviço ser todo digital (59%).  Essa realidade acontece  mesmo com o fato de  que 90% das centenas de órgãos públicos federais e estaduais terem respondido que possuem suas próprias páginas na internet.

Em relação à utilização de nuvem, o levantamento apurou também que ainda há pouca iniciativa nesta direção, pois  os serviços de computação em nuvem mais contratados pelos órgãos públicos federais e estaduais são e-mail (25%) e armazenamento de arquivos ou banco de dados (20%), sendo que nos órgãos estaduais esses serviços foram fornecidos principalmente pelas organizações públicas de TI, como as suas empresas estaduais de processamento de dados.

 

 

Anterior Cresce número de prefeituras com acesso à internet por fibra
Próximos Planejamento enxuga estratégia de governança digital