Anuário Tele.Síntese premia 19 projetos inovadores


Telesíntese, anuário 2018 – Miriam Aquino. Photo Robson Regato

Na festa de premiação do Anuário Tele.Síntese de Inovação em Comunicações, que reuniu ontem, 24, em São Paulo, cerca de 160 executivos e representantes do setor de comunicações, a modernização do marco regulatório marcou o tom dos discursos. “Não podemos caminhar para o futuro regulados pelo passado”, disse Miriam Aquino, diretora da Momento Editorial. “Para acompanhar a inovação tecnológica, as regras precisam ser inovadas e, quando isso não ocorre, o país, os setores regulados e os consumidores padecem”, afirmou Juarez Quadros, presidente da Anatel, que foi homenageado com o Prêmio Destaque do Ano.

Em sua 7ª edição, o Anuário Tele.Síntese premiou 19 projetos inovadores, em cinco categorias, entre 182 inscritos por 141 empresas. Os produtos e serviços foram selecionados por um júri nacional formado por representantes do governo, da academia, da sociedade civil e da Momento Editorial, a partir de critérios pré definidos. O júri também concedeu o Prêmio de Tecnologia Nacional entre todos os projetos.


Importância da inovação

 Tele.Síntese, anuário 2018 -Juarez Quadros, presidente Anatel. Photo Robson Regato

Telesíntese, anuário 2018 -Leonardo Zago, MCTIC. photo Robson Regato

Tele.Síntese, anuário 2018 – Daniel Annenberg, secretário de Inovação e Tecnologia da Prefeitura de São Paulo- photo Robson Regato

“O setor de telecomunicações é um setor transversal, que permite impulsionar a inovação em outros setores da economia. Não é possível pensar em Internet das Coisas sem infraestrutura de telecomunicações”, lembrou Leonardo Zago, da Secretaria de Inovação do MCTIC. Por isso mesmo, disse, telecomunicações o Plano Nacional de Conectividade prevê ampliar os municípios conectados por backbone óptico de 64% para 75%, alcançando 95% da população.

Daniel Annenberg, secretário de Inovação e Tecnologia da Prefeitura de São Paulo, destacou a importância da inovação na melhoria da gestão da cidade. E relatou as medidas que São Paulo vem adotando para estimular a inovação em várias direções: edital para ampliação da cobertura WiFi em pontos públicos (de 120 para mais de 500); fomento a start ups nos FabLabs; relançamento do concurso Inova São Paulo para aplicações na área pública.

 

Os projetos premiados

OPERADORAS DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES

1º VIVO | Plataforma Aura
2º CLARO | Passaporte América e Europa
3º OI | OI Mod
3º WND | Rede para IoT

OPERADORAS REGIONAIS

1º G8 | IP SHieLD
2º CONDAX | FTTH em Condomínios
3º WBT | Internet para Escolas

FORNECEDORES DE PRODUTOS

1º FURUKAWA | Ez! Lux FTTH
2º TRÓPICO | Vectura LTE 250
3º OPTIMATE | VSAT Transportável
3º CORNING | Sistema OptiTap

FORNECEDORES DE SOFTWARE E SERVIÇOS

1º CPQD | Pay Voice
2º ATIVA SOLUÇÕES | Web Sollus
2º ERICSSON | Smart City Manager
3º AMERICAN TOWER | IOT Open Labs

DESENVOLVEDORES DE APPS E CONTEÚDO

1º JETBOV | Plataforma para Gestão de Gado de Corte
2º CABLEWARE SISTEMAS | Cwlan
2º ILHASOFT | Push | Bothub
3º DOCTORALIA | Doctoralia

TECNOLOGIA NACIONAL

CPqD

 

Anterior Anatel e Aneel pedem sugestões para resolver ocupação dos postes
Próximos Qualcomm amplia disputa legal contra Apple