Ano terminará com mais pessoas conectadas do que desconectadas no mundo


O ano de 2018 terminará com 51,2% da população mundial conectada de alguma forma à internet. O número é estimado pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), braço da ONU para o setor. Significa que 3,9 bilhões de habitantes tem acesso à web.

“Ultrapassar o marco de metade da população mundial conectada representa um importante passo rumo a uma sociedade da informação global mais inclusiva. Devemos incentivar investimentos tanto do setor público, quanto do privado, para que ninguém fique de fora”, diz Houlin Zhao, secretário geral da UIT.

A desigualdade ainda é grande, no entanto. Nos países desenvolvidos, 80,9% das pessoas, em média, acessam a internet. Nos países em desenvolvimento, essa média é de 45,3%. Na África, continente onde a web tem menor penetração, 24,4% da população tem acesso.

O celular é o responsável pela atração de novos usuários. A banda larga fixa responde por 12,4% dos acessos no mundo, enquanto a quantidade de celulares conectados supera os 7 bilhões – uma vez que boa parte dos usuários têm mais de um aparelho ou chip ativo.

O levantamento da UIT aponta, ainda, que 96% da população mundial vive em área com algum sinal de telefonia móvel. Além disso, 90% da população com acesso à rede usa conexões 3G ou superior.

A posse de computador também é indicativo da desigualdade mundial. Enquanto nos países desenvolvidos, 83,2% das casas têm uma máquina, nos países em desenvolvimento, a média é de 36,3%. No menos desenvolvidos, nem 10% dos lares possuem um PC.

Já a quantidade de residências com algum acesso à internet atingiu 60%, contra 20% de penetração observada em 2005, por exemplo. Os dados em detalhe podem ser conferidos nesta página, em inglês, da UIT.

Anterior Planejamento prorroga consulta da alteração da Instrução Normativa 4
Próximos Júlio Semeghini cotado para secretaria executiva do MCTIC