Anel óptico sulamericano será concluído em três anos


 

Os ministros de Comunicações dos países da União de Nações Sulamericanas (Unasul) ratificaram sexta-feira (9), em Assunção, no Paraguai, uma declaração em que renovaram o compromisso para integrar as redes de banda larga da internet entre os vizinhos, por meio de um anel óptico. Os ministros aprovaram os prazos para a implementação de cada fase do projeto de anel óptico, que deverá ser concluído em três anos.

 

O documento destaca a importância do projeto para possibilitar aos cidadãos uma conexão mais rápida a preços mais baixos, além de fortalecer a soberania dos países. Hoje é necessário cruzar o oceano Atlântico para acessar do Brasil sites hospedados em países como Colômbia, Chile e Equador. A informação vai aos Estados Unidos, por meio de um cabo submarino, e depois retorna, por outro cabo, pelo oceano Pacífico. No caso do Peru, o trajeto tem mais de 8.000 km. Com o anel, a distância cairia para 2.000 km.

A declaração ressalta, ainda, a necessidade de trabalhar para a geração, armazenamento e distribuição de conteúdos locais, de modo a aumentar a importância do tráfego de dados na região, de acordo com proposta apresentada pelo ministro da Venezuela. Foi formada uma comissão técnica para avançar nesse tema.

Também foram definidas as datas dos próximos encontros sobre o projeto. Em junho, ocorrerá a II Reunião do Grupo de Trabalho de Telecomunicações, em Assunção. Em setembro, o Brasil sediará a III Reunião de Ministros de Comunicações dos países membros da Unasul.

Assinam o documento os ministros dos seguintes países: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Justiça avaliza fiscalização da Anatel em teles sem aviso prévio
Próximos Huawei anuncia plataforma colaborativa em nuvem