Aneel publica requisitos do medidor eletrônico


 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) publicou, nesta terça-feira (14), a instrução normativa com os requisitos básicos para os sistemas de medição eletrônica de energia elétrica de unidades consumidoras residencial, rural e demais classes, exceto baixa renda e iluminação pública. A expectativa é de que a decisão da agência traga uma série de benefícios para os consumidores de energia, como a criação das condições para difundir a microgeração distribuída, ou seja, a possibilidade de que consumidores também atuem como pequenos geradores de fontes alternativas de energia.

 

Os medidores eletrônicos de energia elétrica representam um passo importante para a implantação das redes elétricas inteligentes no Brasil. O conceito de rede inteligente (smart grid, em inglês) constitui a infraestrutura que integra equipamentos e redes de comunicação de dados ao sistema de fornecimento de energia elétrica o que transformará a rede elétrica existente numa verdadeira “internet de energia”, aliando transporte de elétrons e de informação.

Com o novo regulamento, as distribuidoras terão 18 meses para oferecer os medidores eletrônicos aos consumidores. A proposta da ANEEL estabelece dois tipos de medidores. Um deles, a ser instalado sem ônus, será fornecido no caso de o usuário aderir à modalidade tarifária branca – onde a tarifa varia de acordo com faixas horárias de consumo. O outro modelo, mais completo, oferecerá acesso a informações específicas individualizadas sobre o serviço prestado, e a instalação poderá ser cobrada pela distribuidora. Em ambos os casos, a instalação do medidor ocorrerá por solicitação do consumidor.(Da redação)

Anterior MMDS do México também perde a faixa de 2,5 GHz para a banda larga móvel
Próximos Vendas de celulares caem 2,3% no segundo trimestre