Ancine defende regulamentação para estimular filmes nacionais


Leopoldo Nunes, diretor da Ancine (Agência Nacional do Cinema) defendeu uma regulamentação voltada para o mercado de filmes brasileiros na TV por assinatura. O diretor participou hoje, 19 de setembro, da Conferência Nacional Preparatória de Comunicações, no Senado, e abordou o panorama brasileiro da indústria audiovisual. Segundo Nunes, as TVs pagas no Brasil destinam apenas …

Leopoldo Nunes, diretor da Ancine (Agência Nacional do Cinema) defendeu uma regulamentação voltada para o mercado de filmes brasileiros na TV por assinatura. O diretor participou hoje, 19 de setembro, da Conferência Nacional Preparatória de Comunicações, no Senado, e abordou o panorama brasileiro da indústria audiovisual.

Segundo Nunes, as TVs pagas no Brasil destinam apenas 2% de sua programação à produção cinematográfica nacional. Esse percentual, diz o executivo, é pouco para um país que possui 4,6 milhões de assinantes, como é o caso do Brasil. Ele também criticou o preço da assinatura do serviço, que varia entre R$ 1,92 a R$ 6,84 por canal. “Na Argentina, o custo de um canal varia de R$ 0,63 a R$ 0,80. Em Portugal, o preço médio é R$ 1,07 e, na Espanha, R$ 1,51”, comparou.

Anterior Oi obtém financiamento de US$ 360 milhões para expandir banda larga
Próximos Inclusão digital é internet pública e gratuita, diz consultor da Câmara