Anatel questiona os R$ 10 bi de dívida apresentados pela Oi


Juarez-Quadros-01O presidente a Anatel, Juarez Quadros, afirmou hoje, 11, logo após a sua concorrida posse em Brasília, que a agência irá também questionar o valor de R$ 10 bilhões (que atualizados já estão em cerca de R$ 13 bilhões) apresentados pela Oi referentes à dívida que teria junto à agência em multas aplicadas.

Essas multas estariam sendo negociadas pela agência para serem trocadas por investimentos em banda larga, mas o processo foi pelo Tribunal de Contas da União (TCU), até que a justiça decida se elas fazem parte ou não do processo de recuperação judicial

Segundo Quadros, esse montante é maior, e será apresentado hoje ao administrador judicial, pois é o último dia de prazo para isso.  Do montante declarado pela Oi, conforme estimavam os técnicos da Anatel, cerca de R$ 6 bilhões referem-se efetivamente à agência, porque ainda estão na esfera administrativa. O restante já é de responsabilidade a Advocacia Geral da União (AGU), porque são multas que estão sendo questionadas na justiça. E a discussão é se as multas podem ser enquadradas como dívidas passíveis de serem negociadas na recuperação judicial ou se são tributárias, e por isso, não podem ser incluídas na negociação.

PUBLICIDADE

Quadros durante a coletiva de imprensa voltou a tecer sérias críticas às gestões anteriores da Anatel, dizendo que a agência ficou à reboca de tudo, ou do “ecossistema”, como preferiu classificar. “A Anatel recente perdeu muito do espaço”.

Em relação à franquia dos dados da banda larga, o presidente da agência afirmou, contudo, que o assunto não está bem resolvido em nenhum país do mundo. “Não será o Brasil que pode já resolver. Mas no momento está suspendo o limite de franquia.l

Na Europa está suspensa a eficácia a proposta de eliminar o limite de franquia, afirmou. No Estados Unidos, assinalou, mesmo sem regulação, várias operadoras aplicam o serviço ilimitado. Ele observou que no Congresso Nacional tramitam 25 projetos tratando de franquia de banda larga.

 

 

Anterior “A Anatel tem que se antecipar às surpresas inevitáveis”, propõe Quadros
Próximos Agência não deve mais fazer leilão arrecadatório