Anatel recua e muda o valor do faturamento da longa distância no pré-pago


 O superintendente de Serviços Privados da Anatel, Jarbas Valente, publicou hoje, no Diário Oficial da União, uma nova decisão sobre o valor que as empresas de longa distância devem pagar paras as operadoras de celular para usarem as suas plataformas nos cartões pré-pagos.Agora, as empresas de longa distância terão que pagar R$ 0,16 para as …

 O superintendente de Serviços Privados da Anatel, Jarbas Valente, publicou hoje, no Diário Oficial da União, uma nova decisão sobre o valor que as empresas de longa distância devem pagar paras as operadoras de celular para usarem as suas plataformas nos cartões pré-pagos.Agora, as empresas de longa distância terão que pagar R$ 0,16 para as empresas de celular por cada chamada que seu usuário fizer.

No dia 18 de junho a Anatel havia decidido que o pagamento por esse serviço deveria ser de R$ 0,20 por minuto de ligação, o que provocou uma forte reação das empresas de longa distância, principalmente da Embratel, que teria seus custos sensivelmente elevados por uma decisão regulatória que, no entender da empresa, não tinha qualquer justificativa.

As operadoras móveis, por sua vez, argumentavam que o valor  pago por essas empresas, de R$ 0,10 por chamada, estava muito abaixo dos custos do pré-pago (como a distribuição dos cartões, repasse de comissões, etc.) e por isso o reajuste concedido pela Anatel era mais do que justo.

No meio desse tiroteio, a portaria publicada hoje demonstra que a agência reconheceu que carregou na tinta do reajuste, diminuindo seu valor e mudando o critério de pagamento. Mas, de qualquer forma, as celulares passarão a ser melhor remuneradas pelo uso de suas plataformas pré-pagas.

Anterior Leilão de espectro acirra debates nos EUA
Próximos WiMAX: Justiça decide, no mérito, que Telemar/Oi pode comprar freqüência.