Anatel quer liberar a tarifa do DDD


O conselho diretor da Anatel aprovou hoje, 21, a consulta pública por 30 dias que propõe o fim do controle tarifário das ligações de longa distância ( LDN ) feitas por intermédio dos telefones fixos. A mesma consulta propõe manter inalteradas as atuais áreas locais, que são milhares em todo o país, não acatando a proposta de diminuição no número dessas áreas.

Conforme o conselheiro Emmanoel Campelo, relator dessa proposta, o tráfego de longa distância do plano básico da telefonia fixa tem caído ano a ano. ” O Serviço LDN tem perdido a sua essencialidade frente a convergência e novos serviços”, afirmou ele.

Conforme o estudo da agência, cada unidade da federação  possui pelo menos 7 opções de escolha de empresas para completar as chamadas de longa distância nacional  ( o DDD)  “O telefone móvel já é um substituto para o telefone fixo. A diversidade de planos do SMP,  assim como a queda no custo das chamadas, ampliou as opções para a comunicação do consumidor”, completou o conselheiro para sugerir a liberdade tarifária desse serviço.

Campelo ressaltou que a agência ” poderá suspender a qualquer momento essa liberdade tarifária, se constatar abuso”.

Áreas Locais

Não haverá, porém, qualquer mudança no número de áreas locais existentes atualmente no país. Para o Campelo, os efeitos dessa mudança não iriam trazer os benefícios imaginados. Ao contrário, no seu entender, os impactos dessa mudança seriam maléficos. E argumentou:

” A ampliação da área local poderá levar ao aumento das tarifas, conforme estudo apontado pela pela área técnica. Considerando as implicações técnicas e econômicas, os ganhos advindos na ampliação da área local, não compensam os impactos e perdas decorrentes da referida medida”, afirmou ele.

 

Anterior Fonte anônima abre a primeira divergência pública no conselho da Anatel
Próximos Anatel vai aumentar espectro para a 5G no leilão de março

1 Comment

  1. Kuros
    29 de Março de 2019

    Essa Anatel é uma piada. Em países de primeiro mundo, não existe tantas áreas locais quanto no Brasil. Os sistemas já são digitais, portanto não faz sentido usar um modelo de 20 anos atrás que ainda era analógico e por pulso. O ideal seria um DDD por estado o que reduziria custos de empresas já que consumidores usam o celular (que é mais barato do que usar o fixo para DDD). Essa é uma distorção do mercado Brasileiro que vem sendo adiada à anos. Os preços aumentam num primeiro momento, mas caem depois já que as pessoas utilizariam mais o telefone fixo que já está em declínio por distorções como essa.