Anatel pode mudar edital de 3,5 GHz para preservar banda C, admite Valente.


O conselheiro da Anatel, Jarbas Valente, afirmou hoje que a agência começou a fazer os testes na frequência de 3,5 GHz para confirmar se há mesmo inteferência do WiMAX nos serviços prestados pelos satélites de banda C, entre eles, os serviços de TV aberta e de telecomunicações.

Valente afirmou que os testes a serem realizados pelos técnicos da agência em parceria com o CPqD serão concluídos até o final do ano, quando está previsto o lançamento definitivo do edital de venda da banda de 3,5 GHz, hoje em consulta pública.

Apesar do pleito dos radiodifusores e da Embratel, a agência não pretende fazer o teste em conjunto com outras entidades representantes da sociedade.Segundo Valente, a Anatel vai tornar públicos apenas os resultados dos testes.

O conselheiro afirmou que, se forem comprovadas as interferências, a Anatel poderá reduzir o tamanho da faixa que vai vender ao mercado (hoje ela está vendendo os 300 MHz existentes), ou poderá estabeler menores potências para os transmissores que ocuparão a banda com serviços de telecomunicações.

Valente alertou, contudo, que não há previsão de a agência desistir de licitar a frequência, visto que esta faixa é importante para a implementação do Plano Nacional de Banda Larga. “Esta faixa é importante para a banda larga, assinalou”, lembrando, contudo, que a Anatel nunca autorizou a interferência de um serviço sobre outro.

Anterior Brasil chega a 43,7 milhões de acessos em banda larga
Próximos Senado reclama na Anatel de reajuste de preço de satélite