Anatel exigirá ações diretas em 800 municípios para melhorar serviço móvel


A Anatel vai exigir que as operadoras móveis realizem ações diretas em cerca de 800 municípios onde o serviço está mais deficitário, especialmente no acesso à rede de dados. A informação foi dada nesta sexta-feira (22) pelo superintendente de Controle de Obrigações da agência, Roberto Martins, ao divulgar o quarto levantamento sobre avaliação do desempenho das teles após a cautelar que proibiu a habilitação de linhas em todo o país, editada em julho do ano passado. Ele disse que os ofícios começarão a ser mandados já na próxima semana.

Na avaliação que correspondeu o desempenho das operadoras móveis entre maio e junho deste ano, a Anatel constatou que a meta de acesso à rede de dados foi descumprida pelas quatro maiores empresas, quando analisadas conjuntamente. Na análise dos serviços por cada uma das teles, apenas a Claro alcançou a meta de 98%, estabelecida pela agência. Mesmo assim, em algumas cidades, a operadora ficou abaixo do desempenho exigido. No Rio de Janeiro, por exemplo, obteve a taxa de 95,12%.

Em Campo dos Goytacazes (RJ), o acesso à rede da Claro ficou em 99%, mas o acesso à rede de voz, cuja meta de 95% foi ultrapassada por todas as operadoras no cômputo geral, a Claro não passou de 77,2% em julho. A análise da Anatel se limitou apenas a municípios com mais de 300 mil habitantes.

A Oi, que teve o pior resultado geral na meta de acesso a dados (95%), apresentou em junho disponibilidade de 78,5% em Brasília e 74,6% em Fortaleza (CE), em maio. A TIM, que em números gerais, alcançou uma disponibilidade de rede de dados de 96%, não ultrapassou a taxa de 74,2% em Juiz de Fora (MG) em maio. E a Vivo, também com 96% no desempenho geral, teve disponibilidade de 79,1% em Uberlândia (MG), no mês de junho.

Investimentos

Segundo o levantamento da Anatel, as operadoras móveis realizaram, até julho, 47% do total de R$ 31,8 bilhões em investimentos para o período de 2012 a 2014, previstos no Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço, aprovado em agosto do ano passado pela agência. A TIM foi a operadora que empregou o maior de volume até agora, chegando a R$ 4,9 bilhões ou 45% do total de R$ 10,8 bilhões. O valor inicial comprometido pela operadora era de R$ 9,5 bilhões, que acabou revisto.

A Claro assegurou investir R$ 8,2 bilhões até 2014, tendo realizado 51% até julho, ou R$ 4,2 bilhões. A Vivo que se comprometeu com R$ 7,1 bilhões, já investiu 55% (R$ 3,9 bilhões). A Oi que previu um total de R$ 5,4 bilhões, já cumpriu com 35%, investindo até julho R$ 1,9 bilhão.

Anterior Telefónica avança em redução de consumo de energia
Próximos Oi lança 4G em São Paulo e Curitiba