Anatel está preocupada com divergências sobre caixa da Oi


Foto: Felipe Canova GonçalvesO conselheiro Leonardo Euler de Morais disse agora à noite que decidiu adiar a análise da cassação das licenças da Oi devido a novos fatos sobre os quais tomou conhecimento e que agora precisam ser internalizados. E esses fatos são as divergências entre os acionistas e os bondholders e as divergências sobre como usar o caixa da Oi.

“Existem parcelas importantes do bondholders  (credores) que dizem ter dificuldades muito grandes de negociar com os shareholders (acionistas). “A situação está mais polarizada do que o normal e a falta de alinhamento de interesses nos preocupa”, afirmou.

Além disso, Morais disse que a Anatel apurou posicionamentos divergentes sobre a forma de endereçamento do caixa da Oi, o que também deixou-o muito preocupado. Segundo Leonardo Morais, a Oi está há muitos anos investindo menos em relação à sua receita do que as demais operadoras do setor, o que significa que é fundamental uma forte injeção de recursos.

PUBLICIDADE

“O capex versus a receita da Oi é muito inferior ao dos demais”, afirmou. Para a Anatel, ressaltou, é importante uma solução de mercado, mas a agência tem o dever de atuar para preservar a companhia no longo prazo.

Hair Cut

O conselheiro insistiu ainda em que a AGU recorreu ao STJ para retirar as multas da Oi da recuperação judicial porque nenhum ente público tem liberdade para negociar créditos públicos ou flexibilizá-los. “Não tem hair cut (ou corte das dívidas) com dívida pública”, concluiu.

Anterior Atendimento ao cliente por robô custa 10x menos que o humano, na Vivo
Próximos TST manda funcionários dos Correios encerrarem greve