Anatel deve ampliar exigência de produção local na venda da faixa de 2,5 GHz


 

O edital de licitação da faixa de 2,5 Ghz (a quarta geração do celular) que será discutido pelo conselho diretor da Anatel no próximo dia 19 de janeiro, deverá dar prioridade para a produção no país de produtos de telecomunicações ao invés de priorizar a tecnologia integralmente desenvolvida aqui. A agência poderá ampliar a quota de 30% (sugerida no ano passado) para a aquisição de bens e serviços no país. “Fábricas podem ser instaladas em qualquer lugar do mundo. E é política de governo estimular que elas venham para cá”, assinalou fonte da agência.

 

Na primeira versão do edital, a área técnica havia proposto que os 30% de obrigatoriedade de compra de equipamentos nacionais fossem divididos em 5% conforme a portaria 950 do MCTI (com  todo  o desenvolvimento no Brasil) e os 25% restantes conforme o PPB (produção local). Dirigentes da agência entendem que podem diminuir a participação dos produtos importados (que estariam disputando 70% do mercado), ampliando a exigência para a fabricação local. (Publicado no Tele.Síntese Análise nº 323)

Anterior Argentina é 1º país da AL a produzir set-top box para DTH
Próximos Assessores de Obama criticam projeto de lei anti-pirataria