Anatel decide que faixa de radioamador será compartilhada com radar da Embraer


Os radioamadores alegavam que a faixa de 430-440 MHz é de seu uso exclusivo, mas a Anatel entendeu que eles ocupam esse espectro em caráter secundário, da mesma forma que a Embraer também irá ocupar.

shutterstock_Ase_frequencia_geral_abstrata_politica

O conselho diretor da Anatel aprovou em sua reunião da semana passada, a destinação da faixa de 430 MHz a 440 MHz e de 9.300 MHz a 9.800 MHz ao Serviço Limitado Privado (SLP) para aplicação de radiolocalização, a pedido da BRADAR – empresa da Embraer Defesa e Segurança.

A consulta pública para a destinação dessas faixas a esse serviço foi feita no ano passado, e recebeu mais de 270 contribuições de radioamadores contrários à proposta, que alegavam que a faixa de 430 a 440 MHz é usada pelos radioamadores de todo o mundo, e que a agência não poderia dar nova atribuição a ela.

Mas o conselho diretor decidiu destinar o espectro para os radares da Embraer em caráter secundário, e segundo o relator da decisão, conselheiro Aníbal Diniz, “o serviço de radioamador está destinado em caráter secundário no Brasil, na faixa de 430-440 MHz. A proposta de destinação ao serviço de radiolocalização também será em caráter secundário. Ou seja, ambos serviços terão o mesmo status quanto à sua operação. E sendo em caráter secundário não há que se falar em uso exclusivo.”

“Além disso, como os dois serviços estão destinados em caráter secundário, qualquer ocorrência de interferência que impossibilite a convivência entre as estações desses serviços, terá que ser sanada por meio de coordenação”, completou o conselheiro.

A BRADAR  utiliza radares aerotransportados de sensoriamento remoto nas bandas X ( em torno de 9.300 MHz) e P (em torno de 450 MHz). Quando é contratada, um avião transportando o radar sobrevoa a área do estudo, emitindo pulsos nas duas faixas de radiofrequências e analisando o seu entorno.

Em sua solicitação inicial, a BRADAR informou que vem realizando grandes projetos de imageamento nacionais e internacionais, como o mapeamento para o Diretoria de Serviço Geográfico através do Exército Brasileiro (Amazônia), Instituto Geográfico da Venezuela Simón Bolívar (Venezuela), Petrobrás, Vale do Rio Doce, Camargo Corrêa, SARMAP (Suíça), Universidade de Nápolis (Itália) e Telespazio (Interconexión Colômbia Panamá—linha de transmissão de energia entre os países).

Anterior Telebras adia leilão do SGDC para setembro
Próximos Vivo lança 4G em 124 cidades em julho

25 Comments

  1. Valdir
    15 de agosto de 2017

    Não basta a migração criminosa do AM para o FM e a extinção das ondas curtas, o desgoverno responsável pela destruição da economia e roubalheira desenfreada agora quer prejudicar os radioamadores.

  2. Aldo
    15 de agosto de 2017

    Fico a me perguntar, Com tantas Faixas livres de Serviços porque a EMBRAER se interessou justamente por essa que “Já´´ estava liberada para os Radioamadores. Outro Detalhe que me impressiona, “A quantidade de Radioamadores contrários a essa Consulta Pública´´.

  3. Americo Cariani
    15 de agosto de 2017

    Isto é uma safadeza muito grande.

    • Lucas de Souza
      15 de agosto de 2017

      Verdade anatel não comprou nada de ninguém para vender isso é estelhonato

  4. Sales pp7kw
    15 de agosto de 2017

    A faixa está desenvolvendo suas atividades ao rádio amador pagamos nossos direitos quando erramos somos punidos.

  5. Daniel Fernandes
    15 de agosto de 2017

    Eu gostaria de saber quantas opiniões a favor a ANATEL recebeu? Talvez uma? Da própria favorecida?

  6. Nelson
    15 de agosto de 2017

    Isso é o resultado do abandono das faixas por nós e então pagamos o preço pela ausência.

  7. 15 de agosto de 2017

    A Anatel além de não fiscalizar nada, ainda joga contra. Não fez, não faz e não fará nada. Se já sabiam que era de uso secundário,porquê abrir pesquisa de opinião? Se eu quiser, farei uso da frequência sem problema algum. Não será um órgão incompetente que ditará regras que nem ela cumpre ou regulariza. Ela finge que trabalha,eu finjo que obedeço.

  8. Magno macedo
    15 de agosto de 2017

    Segundo as leis físicas,tudo que vem errado lá de cima tende ficar pior embaixo,assinado,quem não está vendo nada certo.

  9. Fernando Luiz de Souza
    15 de agosto de 2017

    Não será a Anatel ou essa empresa Bradar , que dirá que não posso operar nessas frequências. A Anatel, não fiscaliza nada. Agencia cheia de incompetentes e preguiçosos funcionários.
    Caso saiam de sua zona de conforto, verão muitas irregularidades, mas preferem fechar os olhos , para qualquer reclamação.

  10. ANILSON MARIO CRIVELARO
    15 de agosto de 2017

    BARBAROS É ISTO QUE ELES SÃO. BARBAROS E GANANCIOSOS

  11. Antônio Ubiratã Salami
    15 de agosto de 2017

    Apesar de o serviço de radioamadorismo ser em caráter secundário, pagamos nossos impostos para podermos operar nossos equipamentos e mesmo assim temos nossas faixas “invadidas” por outros serviços… Até quando isso vai continuar neste país, pois o hobby está lutando para sobreviver, competindo com outros serviços, ainda a Anatel “dá uma forcinha” para os radioamadores…

  12. Orlandosaldes
    15 de agosto de 2017

    Nem tenho nada a dizer só lamento infelizmente

  13. Marcelo Sbardelini
    15 de agosto de 2017

    bom dia a todos ,bom isso é Brasil, um povo sem cultura e sem educação , em quase todos os filmes e mostrado que nos EUA na maioria das garagens existem um oi mais Radios de comunicação , eles tem isso em sua cultura ,na Suíça e Normal o uso de equipamentos de Radio comunicação e entre outros armamentos com autorização do governo , um país que cresceu entre guerras e apoia que seu povo tenha condições de comunicação e defesa contra qualquer inimigo , bom Brasil sem cultura sem condições técnicas e financeiras para que o cidadão geral possa ter seus equipamentos em ordem , e super limitado por leis e equipamentos de ma qualidade que vem para nós por importação , um CB nos EUA tem em média cerca de 100 wts potencia isso com devidas autorizações e totalmente legal aqui temos equipamentos do mesmo gênero com no máximo 15 wts de péssima qualidade e se passar desta potencia vc ainda pode ser punido , sem contar com as discrepâncias de utilização das outra faixas com VHF , UHF etc…. resumindo tudo é lógico que um governo corrupto e incapaz irá decidir oque quiser Nesse país inclusive sobre serviços de Radio comunicação .

  14. Victo Carrieri Neto
    15 de agosto de 2017

    Isso é consequência da nossa falta de união. Quando nos deparamos com pessoas interessadas em entrar para a atividade, logo surge um ou outro colega que chama a atenção para a necessidade de adquirir o indicativo. Nunca vi ou ouvi, ninguém sugerir a criação do indicativo provisório, como já comentei entre alguns, a fim de cadastrar quem está iniciando, evitando marginalização e promovendo o incentivo, criando a oportunidade de que as pessoas percebam se realmente, ser radiomador, é o que realmente querem ser. Haveriam mais colegas compartilhando a atividade em várias frequências diferentes e atividades mais intensas. Não me refiro à todos. Mas rogo pela conscientização da maioria, para deixarmos as diferenças de lado e sermos mais umildes. Somos mais rigorosos com nós mesmos do que a própria ANATEL, que além de negligente é desprezível com a gente. Fomento para incentivar a atividade só na conta bancária quando pagamos os boletos. Unidos e numerosos somos fortes mesmo sem indicativo! Poucos, com “placa”, não somos vistos nem considerados. Lamentável!

  15. Jackson
    15 de agosto de 2017

    A grande verdade é q a anatel é uma agencia inutil nao faz nadaaaaaa pelo radioamador a nao ser rouba-lo prejudica-lo e faze-lo perder tempo com essa historia de provinha e “indicativo” (fala serio parecemos uns bobos no radio py pu e tal cada vez menos se tem interesse em um qso querem apenas trocar letrinha q q houve conosco ??? Esse nao é o verdadeiro espirito do radioamador) esperar por algum retorno dessa agencia é bancar o otario.nao vale a pena ter indicativo e menos ainda permitir q tal agencia continue a existir com nosso dinheiro.

    Nao tenho mais intencao de renovar nada ano que vem.

    73

  16. Lucas de Souza
    15 de agosto de 2017

    Anatel não tem direito para mandar em frequência de rádio isso nunca pertenceu a anatel não comprou frequência alguma do público
    ( estelionatários vendendo oque não os pertence )

  17. Lucas de Souza
    15 de agosto de 2017

    Velhatel

  18. JACIR PACHECO
    15 de agosto de 2017

    É o mesmo que tirar uma foto do vento, não veremos nada a frente. Que poderá melhorar. A faixa esta abandona,

  19. Marcos Lima de Oliveira
    15 de agosto de 2017

    Meus amigos radioamadores, sinto vos dizer, pois num país onde o Presidente da República, chefe maior da Nação brasileira, é um golpista, estelionatário, ladrão dos cofres públicos, enganador, trapasseiro, corrupto e incompetente, ao quais disse por várias vezes em horário nobre da TV =>> ” Daqui eu não saio, daqui ninguém me tira” … O que se pode esperar do restante dos ladrões ? Estão assaltando de terno e gravata e pior … comprado com o dinheiro do povo brasileiro.

  20. José Emilio nalia
    16 de agosto de 2017

    Bradar deve ser mais uma empresa dá propina,,,,pois está frequência funciona a década,agora querem fingir de vender(trocar)por propina,este é obrasil

  21. 16 de agosto de 2017

    É preciso LER e ENTENDER a análise da ANATEL antes de postar tais comentários. Vou tentar resumir:
    1- A faixa é dos radioamadores e continuará sendo de uso dos radioamadores em caráter secundário (uso não exclusivo);
    2- A melhor faixa para mapear abaixo da floresta e detectar desmatamentos, mineração ilegal, etc é, coincidentemente, a mesma faixa – outras não teriam tal capacidade;
    3- A destinação para ambos é secundário, ou seja, não é exclusivo nem para um, nem para o outro, permitindo que tanto os radioamadores, quanto a Bradar / Embraer compartilhem a mesma faixa, devendo coordenar em casos de conflito. Mas, os conflitos SERÃO MEGA-RARÍSSIMOS.
    4- O uso da faixa pela Bradar/Embraer é para sensoriamento remoto, através de um sensor radar aeroembarcado. A emissão é DIRECIONADA (um feixe spot) apenas sobre uma pequena faixa abaixo do avião, assim, interferirá no radioamadorismo APENAS quando o radioamador estiver “na área de voo”, no meio da floresta, durante alguns segundos em que o avião estiver sobrevoando.
    5- Em suma, o propósito da Bradar/Embraer é nobre – visa proteger nossas florestas e crimes organizados; a ANATEL foi coerente e competente na decisão de compartilhamento da faixa; o uso para radioamadorismo, na prática, NÃO TERÁ NENHUMA PERTUBAÇÃO e continuará fazendo uso como se nada houvesse ocorrido…

  22. Francisco Assis Borges de Lima
    16 de agosto de 2017

    Nesse país que moral, ética, respeito não funciona quem dirá frequência pra rádio amador tudo é secundário menos nosso suado em postos que o nome é em posto já diz tudo Samos escravos dos poderosos do mundo e nada muda isso é preciso fazer algo a respeito e logo….

  23. 16 de agosto de 2017

    Já fui radioamadorista e hoje pretendo voltar, mas com essas, formas de governo e empresas privadas dominando todo o espaço, que existe para o cidadão de bem, fico intediado com o que vem acontecer, mas mesmo assim, Vou voltar as atividades e lutar para a permanência do Roby.

  24. wellington
    18 de agosto de 2017

    Aproveitando !!! se ficarmos de bobeira vamos perder outras frequências também !
    o VHF 144/148 mhz já esta sendo invadido por Asa Deltas e etc !!!!