Anatel cria grupo de trabalho para aperfeiçoar pesquisas de opinião


A Anatel criou um grupo de trabalho para racionalização e amplificação das pesquisas para que traduzam as reais demandas do consumidor em relação aos serviços. Segundo o conselheiro Igor de Freitas, a ideia é de que os levantamentos possam subsidiar outras iniciativas da agência, como o Plano Geral de Metas de Competição (PGMC), além das ações visando a melhorar a qualidade percebida.

Na avaliação de Freitas, os questionários atuais não são suficientes, por exemplo, para captar mudanças no comportamento do consumidor e informações como essas são importantes para basear a regulação. A perspectiva é de que os novos métodos estejam prontos para serem usados no novo ciclo de pesquisa, que ocorrerá a partir de abril de 2015.

Nesta quinta-feira (11), Igor de Freitas fez uma apresentação sobre dados da banda larga em seminário promovido pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O conselheiro apresentou seu trabalho e procurou quantificar a demanda domiciliar por acesso à internet no Brasil. Pelo levantamento, o nível de renda é o fator mais determinante para decisão de contratação da banda larga.

No debate, Freitas disse que a banda larga móvel cresce principalmente pela necessidade dos usuários de estarem conectados em todos os lugares, mas não acredita que ela venha a substituir definitivamente a fixa. No entanto, entende que a conexão fixa precisará dar saltos de velocidade para continuar competitiva e isso depende de fibra óptica nas residências. “Eu acho que há complementaridade entre a banda larga fixa e móvel, mas só com levantamentos como esse poderemos ter certeza das tendências de demanda dos consumidores”, disse.

Freitas propôs ao Cade a realização de levantamentos conjuntos, que facilitariam a análise da competição no mercado de telecomunicações. O conselheiro se comprometeu também a compartilhar microdados sobre esse mercado com a autarquia, que em breve terá de analisar as consolidações em curso.

Anterior Mundo terá 6 bilhões de smartphones em 2020, aponta GSMA
Próximos SAP pode reforçar portfolio para o varejo com solução para ponto-de-venda