Anatel constata que 47% dos orelhões da Oi em Manaus não funcionam


A decisão da Anatel, anunciada ontem, de conceder quatro meses para que a Oi e a Embratel consertem todos os telefones públicos da região se deve à constatação da agência de que a situação é extremamente séria na região. “A fiscalização da agência constatou, por exemplo, que na capital do estado do Amazonas, em Manaus, 47% dos orelhões não funcionam, imagine-se no restante da região”, lamentou o presidente da agência, Ronaldo Sardenberg.

Segundo ele, além de a Embratel e a Oi terem que consertar todos os TUPs,  a concessionária local terá que apresentar na primeira semana de setembro um plano de ação para diminuir as interrupções ocorridas em sua rede e para substituir e modernizar os equipamentos disponíveis na região.

Sardenberg, que se reuniu com  parlamentares do Amazonas que participaram da CPI dos orelhões esta semana, pretende ir à região em outubro, para se certificar de que as providências estão sendo tomadas pelas empresas. “É de bom tom que os entes regulados cumpram as determinações da agência reguladora”, assinalou.

A Oi, por sua vez, informa que já está tomando as providências necessárias, mas assinala que muitos TUPs foram descontinuados em virtude da troca de metas de universalização, que diminuiu o número de orelhões em troca da construção do backhaul (a rede de banda larga).

Anterior Brasileiro gosta de usar dispositivos eletrônicos para fazer compras
Próximos STF suspende dispositivos de lei mineira sobre telecomunicações