Anatel adota metas mais rígidas para avaliar operadoras


A Anatel adotou metas mais rígidas para avaliar a qualidade do tratamento dado pelas prestadoras às reclamações dos usuários de telefonia fixa e móvel. Desde janeiro, para formação do IDA (Índice de Desempenho do Atendimento), a agência exige 8% de taxa de reincidência das queixas dos serviços, contra 10% permitidos até dezembro de 2010. Também caiu de 2% para 1% o índice de pendências permitido. A resolução dos problemas ficou ainda mais exigente: de 82% para 85%.

 

Já os índices de reclamação aceitos para a telefonia móvel e longa distância nacional não foram mudados, continua com a meta de 0,200 por mil acessos para celulares e de 0,030 por mil acessos para LDN. Somente na telefonia fixa, a meta caiu de 0,400 para 0,360 por mil acessos.

Com as novas metas, o IDA de algumas operadoras apresentou queda em janeiro, como o da Sercomtel, que em dezembro de 2010 estava com o mais alto desempenho, de 100, caiu para 92,19 em janeiro deste ano. A CTBC apresentou queda de 100 para 95,95 e a Vivo ficou praticamente estável, de 100 para 99,99. A Claro teve desempenho pior entre dezembro e janeiro, seu índice caiu de 93,25 para 92,90 e a aeiou (Unicel), caiu de 83,33 para 70,23 também entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011.

Já a TIM, a Oi e a Brasil Telecom apresentaram melhora no IDA entre dezembro do ano passado e janeiro de 2011. O índice da Oi subiu de 91,75 para 92,05; o da TIM, de 76,41 para 80,44, e o da BrT, de 86,15 para 86,65.

Telefonia fixa

Na telefonia fixa local, apenas a Sercomtel apresentou evolução positiva entre dezembro de 2010 e janeiro deste ano: subiu de 89,47 para 92,79. A Intelig, que em dezembro estava com a avaliação máxima (100) despencou para 78,72 em janeiro de 2011. A Oi caiu de 78,72 e a Brasil Telecom, de 93,63 91,08.

A GVT, que também em dezembro apresentava IDA com a nota máxima (100), caiu para 94,99. A CTBC também apresentou queda no período, mas passou a ocupar o primeiro lugar em desempenho em janeiro: 97,08 ante 99,50 do mês anterior.

A TIM, cujo desempenho já era ruim (30,97) em dezembro, despencou ainda mais, para 13,36 em janeiro. A Telefônica, em penúltimo lugar, caiu de 76,48 para 62,81. E a Embratel, de 82,55 para 68,85 em igual período.

Na telefonia fixa de longa distância nacional, a GVT foi a única com evolução positiva entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011: de 87,50 para 100,00. A Embratel manteve a nota máxima de 100,00. Enquanto Intelig caiu de 100,00 para 90,83 no período; a Sercomtel, de 100,00 para 65,72; a CTBC, de 100,00 para 94,32; a Oi, de 99,67 para 97,00; a Brasil Telecom, de 100,00 para 85,39 e a Telefônica, de 99,67 para 99,00. (Da redação)

Anterior CPqD implanta solução de supervisão óptica no Chile
Próximos Oi oferta banda larga em Águas Claras (DF) a R$ 39,90 o mega