Anatel abre consulta para dar sobrevida à tecnologia analógica


Passados oito anos desde a primeira data em que a Anatel previa decretar o fim da tecnologia analógica da telefonia móvel no país, a tecnologia AMPS vai ganhar mais tempo. Hoje, a agência publicou consulta pública, por 10 dias, para mexer na data de 12 de março de 2016 que havia sido estabelecida como prazo final pela última vez em que a agência havia prorrogado o prazo.

Conforme a proposta, as empresas ganham dessa vez mais 30 dias para negociar com os seus clientes do Ruralcel um acordo, se eles quiserem ficar com esse tipo de telefone analógico.  E não haverá mais uma data limite para o fim dessa tecnologia.

São as concessionárias de telefonia fixa que têm a obrigação de manter esses clientes, e depois desses 30 dias, as operadoras de celular, que eram remuneradas pelas concessionárias para manter a rede AMPs não têm mais qualquer obrigação de arcar com essas redes, cabendo às concessionárias de telefonia fixa assegurar que os usuários das áreas rurais, que tinham esses sistemas, continuem a falar.

Somente a Oi, tanto na região da Brasil Telecom como na região da Telemar, é que ainda enfrenta dificuldades em substituir esses antigos telefones por redes digitais.

 

 

Anterior Pronatec: 2 milhões de matrículas em 2016 e MECFlix
Próximos Telefónica vai construir mais um cabo submarino ligando Brasil a EUA

1 Comment

  1. Vagner Ornelas
    10 de Março de 2016

    Impressionante o apego que o Brasil tem pelas velharias, é uma dificuldade de se livrar de Ruralcel AMPS, TV Analógica, Parabólica Analógica, AM, um apego total por coisas obsoletas. Na hora de resolver a questão do Ruralcel a Oi enfrenta dificuldades, mas na hora de colocar uma antena para atender o sítio frequentado pelo Lula, aí não tem dificuldade ? As prioridades desse país são totalmente equivocadas.