Amos assume oficialmente a presidência da Telefônica Vivo


Amos Genish GVTA assembleia geral extraordinária da Telefônica Vivo aprovou hoje a nova estrutura da empresa, após a incorporação da GVT, e elegeu Amos Genish para o cargo de presidente. Desde o final de março, quando a compra da GVT pela Telefônica foi aprovada pelo Cade e o grupo espanhol anunciou que ele seria o presidente da operadora, Amos dedicou-se, na empresa, a levantar recursos para o aumento de capital e pagamento da aquisição do ativo para a Vivendi (na venda, ela ficou também com ações equivalentes a 12% do capital social). “Ele passou boa parte de abril viajando com esse objetivo”, informou à época fonte da empresa.

Amos Genish vai comandar um time de 11 vice-presidente, quatro dos quais procedentes da GVT. Esta é a nova estrutura de comando da Telefônica Vivo:

Unidades de negócio:
* Consumer Móvel: Christian Gebara (Telefônica Vivo)
* Consumer Fixa: Dividida entre Ricardo Sanfelice (marketing) e Fabiano Ferreira (vendas), ambos provenientes da GVT.
* Empresarial: Silvio Antunes (Telefônica Vivo)

Áreas de suporte:
* Regulamentação, Comunicação Corporativa e Assuntos Institucionais: Gustavo Gachineiro (GVT)
* Finanças, Controle de Gestão e Supply Chain – Alberto Horcajo (Telefônica Vivo), tendo como adjunto e CFO-Fixa Bruno Gentil (GVT)
* Recursos Humanos: Giovane Costa (GVT)
* Estratégia, Planejamento Corporativo e PMO: Estanislau Bassols (Telefônica Vivo), tendo como adjunto Alejandro Contreras (GVT)
* Jurídico: Breno Pacheco (Telefônica Vivo)

Áreas operacionais:
* Atendimento ao Cliente e Qualidade: Ciro Kawamura (GVT)
* Tecnologia da Informação: Christiane Edington (Telefônica Vivo), tendo como adjunta e TI – Fixa Alessandra Bomura (GVT)
* Rede e Operações de Campo: Andrea Folgueiras (Telefônica Vivo), tendo como adjunto de operações de campo – fixo Juan Claros (GVT)

Além dessas áreas, há ainda uma diretoria de intervenção, inspeção e auditoria separada, a cargo de Juan Carmona (Telefônica Vivo).

Anterior Abrint reúne governo e provedores regionais em São Paulo
Próximos Gastos com telefonia entram no corte de 15% do governo