America Net investe em anel óptico e quer ter operação nacional


Há 15 anos prestando serviços para o mercado corporativo, a empresa America Net decidiu investir em fibra óptica em condomínios empresariais para ampliar a oferta de serviços e o número de clientes. A primeira experiência foi no condomínio San Jose, em Cotia, na grande São Paulo, onde a operadora construiu um anel óptico, com quatro mil metros de fibra, e instalou uma torre de transmissão. “Já temos cerca de 30 clientes, de um potencial de cem, no centro empresarial”, conta José Luiz Pelosini, diretor de telecom da empresa.

No condomínio de Cotia o gerenciamento da rede é feito remotamente pelo NOC (Network Operation Center), localizado na capital paulista. “Temos também uma sala dedicada aos equipamentos e monitoramento em regime 24×7 dentro do condomínio,” comenta Fábio Andreotti, gerente de projetos da America Net. Para os clientes do condomínio, a operadora oferta telefonia com linhas ilimitadas e internet com conexão para tráfego de dados e imagens em velocidade que varia de 1 Mbps a 1 Gbps.

Com foco na pequena e média empresa, a America Net vende serviço de acesso a internet, com link dedicado e pacotes de serviços de voz fixa local e de longa distância, e aparelhos PABX em comodato. Além das empresas, também vende capacidade de acesso para provedores locais nas cidades em que atua, nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Porto Alegre, e em Brasília. “Hoje já temos rede própria, combinando fibra e rádio, em quase 100% das cidades em que operamos. A meta é aumentar a capilaridade, fibrar novos condomínios, e em dois anos ter pontos de presença espalhados em todo o país”, conta Pelosini.

No ano passado, a empresa teve faturamento de R$ 15 milhões. Para 2010, as previsões são de dobrar as receitas e encerrar o ano com 450 clientes corporativos. Para os planos de abrangência nacional, a companhia acompanha com interesse a Telebrás. Pelosini diz que já houve algumas conversas informais entre os dirigentes das duas empresas para uma eventual troca de capacidade. “A Telebrás pode contribuir para acelerar nosso crescimento”, acredita.

Anterior Western Digital inicia produção de discos rígidos no Brasil
Próximos Conselho de Administração da Telebrás aprova redução do número de ações