América Móvil quebra acordo com a KPN após anúncio de compra da E-plus pela Telefónica.


A América Móvil começa a reagir à proposta de compra da operadora E-plus, subsidiária alemã da KPN, pela Telefónica, anunciada na semana passada. A operadora mexicana quebrou o acordo de cooperação com a KPN, da qual é a principal acionista, o que a deixa livre para aumentar sua participação na holandesa, acima dos 30% que detém atualmente.

Segundo fontes da operadora, não está claro se a América Móvil aprovou a venda da E-plus para o grupo espanhol. No caso de querer aumentar sua participação na KPN, a lei holandesa exige que a operadora de Carlos Slim lance uma oferta pública de aquisição de 100% da empresa. A América Móvil é concorrente da Telefónica nos mercados da América Latina.

Ao anunciar a operação,  Telefónica informou que seu conselho de diretores aprovou a proposta de compra da E-plus, que será fundida com a Telefónica Deutschland para criação de uma nova companhia, com 43 milhões de acessos e cerca de 8,6 bilhões de euros em receita combinada. A aquisição criará a organização líder de mercado na telefonia móvel na Alemanha, à frente de Deutsch Telekom e Vodafone, sendo que a Telefónica passa a ser a segunda maior operadora da Europa.

O processo de fusão das empresas está em um estágio inicial e o negócio ainda precisa da aprovação dos acionistas e reguladores. A este respeito, espera um “alto padrão” de obrigações dos reguladores, já que as operações anteriores semelhantes na Europa exigiram uma compensação substancial para serem aprovadas.(Da redação, com agências internacionais)

Anterior Proposta de norma para acompanhamento de metas de produtos nacionais entra em consulta
Próximos MCTI anuncia resultado de seleção de start ups