América Móvil não acredita em investimento disruptivo para a 5G


A América Móvil, que controla a Claro, NET e Embratel, vai investir em 2019 US$ 8,5 bilhões, especialmente em FTTH, em todas as suas operações, informou hoje, na conferência para os analistas, o CEO Daniel Hajj. No ano passado, a empresa investiu US$ 8 bilhões. “Vamos colocar muita fibra. Vamos também investir muito em TI. Aumentar a capacidade da rede sem-fio e a sua expansão”, afirmou o executivo.

E ele disse que, para o próximo ano, quando as expectativas são do ingresso de diferentes operadoras globais na oferta de serviços de 5G (quinta geração da telefonia móvel), não se deve esperar “investimentos disruptivos” por parte da empresa.

  • Muitas das coisas que estamos fazendo e investindo hoje estão funcionando para a  pré-5G. Fibra na ponta, mais fibra no backbone, fotônica, mais torres. Já estamos investindo em 2018, 2017 e 2019. Portanto, não vemos a ruptura do CapEx em 2020 com a introdução do 5G.  O CapEx será mais ou menos o mesmo que no ano passado, afirmou Hajj

No Brasil, a América Móvil disse que vai manter a estratégia de investir em fibra com Gepon nas novas cidades onde está entrando, mas que ainda confia no bom desempenho do cabo coaxial das redes de TV a paga na disputa pelo mercado da ultrabanda larga. “Nós temos 54% desse mercado”, ressaltou o executivo.

Hajj observou  que se alguns grandes concorrentes estão fibrando o território brasileiro, os pequenos provedores também estão fibrando as áreas e trazendo competição para o mercado.

A América Móvil fechou 2018 com um lucro 8,4% maior que no ano anterior. Já a Claro registrou receitas líquidas de R$ 9 bilhões no último trimestre de 2018.  No ano, o grupo apurou receita líquida de R$ 35, 654 bilhões.

Anterior Oi aumenta contratos com o governo
Próximos Governo promete mais 1.000 serviços digitais em dois anos

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *