Alvarez:banda larga no Brasil é pouca, lenta e cara.


O coordenador do programa de inclusão digital da Presidência da República, Cezar Alvarez, conclamou as empresas de telecomunicações a se engajarem no Projeto Nacional de Banda Larga, que deverá estar definido pelo governo em 30 dias, conforme determinou ontem o presidente Lula. Segundo ele, o governo está disposto a discutir todas as questões que possam …

O coordenador do programa de inclusão digital da Presidência da República, Cezar Alvarez, conclamou as empresas de telecomunicações a se engajarem no Projeto Nacional de Banda Larga, que deverá estar definido pelo governo em 30 dias, conforme determinou ontem o presidente Lula. Segundo ele, o governo está disposto a discutir todas as questões que possam ajudar a criação de uma política nacional de banda larga, desde que as empresas também saibam que precisam fazer a sua parte. "A banda larga no Brasil é pouca, concentrada, lenta e cara", disparou ele.

Em um duro recado paras as empresas, ele assinalou que a banda larga é uma ferramenta para efetivar os direitos de cidadania, mas ela não estaria cumprindo este papel. Assinalou que dos 24% dos domicílios brasileiros que têm computador, apenas 17% têm acesso à internet, dos quais 30% com velocidades de até 256 Kbps. "Além disso, 40% da banda larga do país está concentrada no estado de São Paulo e 80% nas regiões Sul e Sudeste". Para demonstrar que o serviço também é muito caro, ele lembrou que, na cidade de Manaus se oferece 200 Kbps por R$ 119,00. Outro exemplo para respaldar as críticas do governo: 78% das empresas brasileiras têm banda larga abaixo de 2 Mbps. "Com a política, o governo quer não apenas estimular a oferta, mas também apoiar a demanda", concluiu.

Anterior MEC quer que concessionárias antecipem metas e aumentem banda
Próximos Oposição à Eletronet é ideológica