AlmavivA manterá home office na área administrativa mesmo ao fim da pandemia


Diante da pandemia causada pela COVID-19, muitas empresas adaptaram suas operações e alteraram a rotina de seus colaboradores para manter os serviços e cuidar da saúde de todos. Uma das 5 maiores empregadoras do país, a AlmavivA do Brasil, também seguiu essa tendência e já está alterando a maneira de trabalho de uma forma que se estenderá no pós-pandemia. No momento, mais de 60% de sua operação de atendimento já está em home office e, a partir de agora, em seu escritório Central em São Paulo, toda a área administrativa, que já havia tido mudanças na modalidade de atuação entre as equipes desde o início da emergência, trabalhará em sistema de revezamento definitivo.

São cerca de 150 colaboradores da área de staff em São Paulo que passam, de maneira permanente, a ter uma rotina dividida entre home office e trabalho presencial, sendo 50% de sua carga horária cumprida em cada regime. “Essa decisão foi tomada porque, diante de todas as mudanças que aconteceram em função da pandemia, onde priorizamos resguardar a saúde de nossos colaboradores, a empresa pode avaliar que houve ganho de tempo, eficiência e comprometimento com essa modalidade de trabalho remoto, além de proporcionar uma qualidade de vida maior aos funcionários”, explica Francesco Renzetti, CEO da empresa.

Segundo pesquisa realizada entre março e abril – com 1.300 profissionais de diversos cargos – pelo software de recrutamento e seleção Kenoby, 90% deles considera que o home office será o futuro das empresas. E a AlmavivA já aposta nesse modelo há algum tempo, possuindo, desde 2015, a maior operação home based terceirizada no Brasil. Além disso, no final do ano passado, lançou a solução AV Home, que une tecnologia de ponta a profissionais especializados na gestão de trabalho remoto, permitindo à empresa oferecer essa modalidade de atendimento com total segurança e em grande escala, fator fundamental para o sucesso que teve na migração emergencial para esse modelo no início da pandemia. (Com assessoria de imprensa)

PUBLICIDADE
Anterior Brasil tem as oito maiores audiências em lives do YouTube no isolamento
Próximos Cade revoga suspensão de parceria entre Facebook e Cielo para pagamentos por WhatsApp