Algar Telecom tem receita 5,1% maior em 2013


Em 2013, a receita bruta consolidada da Algar Telecom cresceu 5,1% em relação ao ano anterior, somando R$ 2.458,2 milhões. Deste valor, 77% foi resultado do segmento de Telecom (sendo 64% negócio fixo e 13% negócio móvel) e 23% do segmento de Tecnologia de processos de negócios (sendo 54% de relacionamento com o cliente e 46% de serviços de TIC).

A companhia apresentou um lucro líquido consolidado de R$ 137,8 milhões no exercício social encerrado em 2013, 2,3% menor que o registrado no ano anterior. Este efeito, a despeito de uma melhor performance operacional medida pelo EBITDA, é explicado por maiores despesas com depreciação – em razão dos volumes de investimentos necessários para expansão da Companhia e maiores  despesas financeiras no período. A margem líquida foi de 7,2%.

Telecom 
O segmento de Telecom da Companhia registrou receita bruta de R$ 1.904,7 milhões, 5,0% superior aos R$ 1.814,3 milhões auferidos em 2012. Os maiores destaques do período foram o aumento de 13,2% (R$ 63,9 milhões) nas receitas com clientes corporativos da área de autorização, 16,4% nas receitas de voz móvel (R$ 33,3 milhões) e 36,4% (R$ 30,7 milhões) nas receitas de TV, as quais mais do que compensaram a queda das receitas de tráfego local, longa distância e cartões da telefonia fixa.

A Companhia encerrou o ano de 2013 com EBITDA consolidado de R$ 476,5 milhões, uma evolução de 5,3% se comparado ao do ano anterior, com manutenção da margem EBITDA consolidada em 25%.

O EBITDA do segmento de Telecom atingiu R$ 400,3 milhões em 2013, uma expansão de 5,2% sobre o de 2012. A margem foi mantida em 28%. O segmento de Tecnologia de processos de negócios apresentou uma evolução positiva de 6,3% no EBITDA, que totalizou R$ 75,5 milhões em 2013. A margem EBITDA evoluiu 1p.p., passando de 12% em 2012 para 13% em 2013. Este desempenho é decorrente da priorização de um portfólio de serviços com maior valor agregado e da melhor performance operacional, advinda de projetos de eficiência e qualidade. (Da redação)

 

 

Anterior Mobilidade é a principal preocupação dos líderes de segurança das empresas
Próximos Luis Minoru - O (alto) custo das telecomunicações no Brasil: esse problema tem solução?