Alcatel-Lucent quer parcerios nacionais mas é contra reserva de mercado


O presidente da subsidiária brasileira da Alcatel-Lucent, Jonio Foigel, disse hoje, em entrevista durante a inauguração do centro de integração e testes, em São Paulo, que a empresa, com essa iniciativa, na qual foram investidos US$ 4 milhões, vai aumentar o nível de valor agregado aos seus produtos. "Toda a integração de plataformas, que antes …

O presidente da subsidiária brasileira da Alcatel-Lucent, Jonio Foigel, disse hoje, em entrevista durante a inauguração do centro de integração e testes, em São Paulo, que a empresa, com essa iniciativa, na qual foram investidos US$ 4 milhões, vai aumentar o nível de valor agregado aos seus produtos. "Toda a integração de plataformas, que antes era feita em centros no exterior, será feira aqui", informou. Segundo Foigel, a empresa conta com um time de 800 engenheiros e profissionais técnicos, fora o pessoal de manutenção de campo. E que, no momento, estão sendo desenvolvidos seis projetos de integração em redes de nova geração, call center IP, análise de segurança de rede IP, para quatro clientes (Brasil Telecom, Telefônica, Oi e Vivo).

Segundo Jonio Foigel, ao instalar no Brasil o primeiro centro de integração e teste da região, que vai atender clientes de outros países, quer ampliar a agregação local de valor. Para isso, diz ele, a empresa vai recorrer a parcerias com empresas nacionais, nos moldes da que firmou com a Digicon para desenvolvimento de sistema de sinalização da Oi ou com a argentina Condor, para o desenvolvimento de aplicativos para a rede de nova geração da empresa (NGN classe 5).

Anterior Anatel prevê investimentos em telecom de R$ 250 bi até 2018
Próximos PGO manda separar empresa de banda larga, mas proposta ainda "está em estudo".