Alcatel-Lucent implementa backbone de 100 GB para a Oi


A Oi pretende ampliar em até 57 vezes a capacidade de transmissão de dados em seu backbone (a espinha dorsal de uma rede de telecomunicações). O projeto usará equipamentos OTN (Optical Transport Network) em circuitos de 100GB que cobrem uma extensão de 30 mil quilômetros de rede e atendem 12 capitais: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Vitória, Porto Alegre, Santa Catarina, Curitiba, Salvador, Fortaleza, Recife, Teresina e Brasília. A fornecedora será a Alcatel-Lucent. O valor do negócio não foi divulgado.

Segundo a Oi , a expectativa é dar maior robustez à rede para atender o crescente consumo de dados nos próximos anos.  O projeto vai expandir inicialmente em dez vezes a capacidade de transporte de dados da rede da Oi, que passará a ser de 4Tbps (terabytes por segundo). Para se ter uma ideia do que isso representa, em cada Tbps é transportado um volume de dados que equivale ao envio de mais de 270 mil fotos em alta resolução ou 213 DVDs por segundo. A nova tecnologia permite que essa capacidade seja expandida sempre que necessário, chegando chegando a 23Tbps – 57 vezes em relação aos padrões atuais.

Com a iniciativa, a Oi se torna a primeira operadora da América Latina a utilizar os equipamentos OTN (Optical Transport Network) em circuitos de 100Gb. Além da ampliação da capacidade de transmissão de dados, a nova tecnologia aumentará a segurança e a qualidade do fornecimento dos serviços de telecomunicações da Oi aos seus clientes, ao assegurar três caminhos distintos de conexão na rede da companhia.

A receita de dados da companhia para o clientes de varejo de telefonia móvel cresceu 27% no terceiro trimestre de 2014 em relação ao mesmo período de 2013. Com a conclusão do projeto, será possível transmitir sinais de vídeo 4K/8K e prover serviços inteligentes e criptografados para clientes corporativos, entre outras iniciativas, diz a concessionária. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Ciena lança soluções Web-scale IT
Próximos Planejamento cria grupo permanente de segurança da rede do governo