Alcatel-Lucent firma parcerias e aposta no WiMAX


Com nove mil estações radiobase para WiMAX instaladas no mundo e a expectativa de chegar a 15 mil em 2009, a Alcatel-Lucent aposta no WiMAX como uma tecnologia global e não apenas a tecnologia ideal para países emergentes, onde há uma demanda maior por acessos em banda larga. "No mundo já temos 34 operações comerciais, …

Com nove mil estações radiobase para WiMAX instaladas no mundo e a expectativa de chegar a 15 mil em 2009, a Alcatel-Lucent aposta no WiMAX como uma tecnologia global e não apenas a tecnologia ideal para países emergentes, onde há uma demanda maior por acessos em banda larga. "No mundo já temos 34 operações comerciais, fora os trials, sendo três na América Latina – dois na Bolívia e um na República Dominicana", disse Valérie Layan, vice-presidente de desenvolvimento de negócios para a área de WiMAX da Alcatel-Lucent, que está participando do WiMAX Forum, que se realiza no Rio de Janeiro.

No Brasil, a companhia tem contrato com a Brasil Telecom, que tem licença para operar o WiMAX em 3,5 GHz em nove regiões e já tem redes instaladas em três capitais (Curitiba, Porto Alegre e São Paulo). A operadora, no entanto, ainda não lançou comercialmente o serviço. Outra experiência foi com a TIM, também na freqüência de 3,5 GHz, usando banda de 10 MHz, para testar a tecnologia WiMAX tanto para voz quanto para dados.

Parcerias

Para a evolução da tecnologia WiMAX, a Alcatel-Lucent fez uma parceria com a Intel para o desenvolvimento de chips tanto para equipamentos em 3,5 GHz quanto em 2,5 GHz. "No caso da freqüência de 2,5 GHz, já temos notebooks com chipsets para WiMAX", informou Layan. Ela destacou que outra ação conjunta entre fornecedores e operadoras envolve a Alcatel-Lucent (rede de acesso), a Samsung (terminais), a Intel (chipset) e a Cisco (core da rede) numa aliança, cujo objetivo é criar um ambiente de desenvolvimento colaborativo.

A vice-presidente da Alcatel-Lucent reforçou a informação, divulgada ontem pela companhia, de que mantém negócios em redes móveis, dizendo que não "passam de rumores"as informações veiculadas na mídia, segundo as quais, a empresa estaria deixando a parte de redes móveis.

Hoje, em Paris, a companhia anunciou o lançamento da nova versão do sistema de gerenciamento de terminais (CPEs, modens, placas WiMAX, etc.) com os dois protocolos de gerência de CPEs. A ferramenta foi incorporada ao portfólio da Alcatel-Lucent com a aquisição da Motive, empresa que desenvolveu o sistema de gerenciamento. "Esse sistema gerencia, remotamente na rede, problemas e também a mudança de perfil de um cliente. Hoje as redes WiMAX tem um volume pequeno de usuários, mas quando aumentar o número de usuários, a gerência da CPE será fundamental", explicou Antonio Augusto Firmato Glória, CTO da Alcatel-Lucent.

 * A jornalista viajou a convite da Alcatel-Lucent

Anterior TV paga já tem mais de 6 milhões de clientes
Próximos WiMAX Forum estima 13 milhões de usuários na AL em 2012